Simão Sessim manifesta solidariedade às vitimas das chuvas em Queimados e Nova Iguaçu.

Chuva deixa rua do centro de Nova Iguaçu. Foto: Douglas Vianna/Futura Press

Chuva deixa rua do centro de Nova Iguaçu. Foto: Douglas Vianna/Futura Press

O segundo-secretário da Câmara dos Deputados, Simão Sessim (PP-RJ), usou a tribuna do plenário para criticar as péssimas condições de moradia oferecidas aos pobres em áreas de risco na Baixada Fluminense. Sessim manifestou solidariedade aos moradores de Queimados e Nova Iguaçu. As duas cidades decretaram estado de emergência por causa das chuvas do último fim de semana, que desabaram na região Metropolitana do Rio de Janeiro.

“Nessas duas cidades da Baixada Fluminense, milhares de moradores tiveram perdas total de seus bens, adquiridos, como sempre, à base de muito sacrifício. Muitos deles estão desabrigados ou desalojados, dependendo da ajuda de parentes e amigos, necessitando também de suporte, itens de primeira necessidade, como alimentos não perecíveis, colchonetes, material de limpeza, fraldas descartáveis, água potável”, declarou o deputado.

Simão Sessim disse que todos os anos o problema se repete. “Infelizmente, é sempre assim. No Rio de Janeiro, todo verão é a mesma coisa: favelas da capital e bairros pobres da Região Metropolitana, especialmente da Baixada Fluminense, são devastados por chuvas torrenciais, mais do que típicas entre os meses de dezembro e abril”, ressaltou o parlamentar.

Mas, o deputado que é da Baixada Fluminense, lembrou que investimentos feitos em alguns municípios estão evitando que a catástrofe seja ainda maior. “Me consola e me conforta um pouco, o fato de não ter a minha querida Nilópolis nas estatísticas do caos que as chuvas de Verão sempre provocam. Graças a Deus, todos os investimentos que levamos para a cidade estão garantido à sua população enfrentar as chuvas de fim de ano com segurança e um pouco mais de tranquilidade”, destacou Simão Sessim.

Escola Municipal Carlos Pereira Neto, em Queimados. Foto: Divulgação.

Escola Municipal Carlos Pereira Neto, em Queimados. Foto: Divulgação.

Segue pronunciamento na íntegra

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, lamentavelmente, a minha presença na tribuna desta Casa, no dia hoje, tem por finalidade manifestar a minha triste solidariedade ao povo da Baixada Fluminense, sobretudo de Queimados e Nova Iguaçu. As duas cidades decretaram estado de emergência por conta das chuvas de verão que desabaram na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, no último fim de semana.

Nessas duas cidades da Baixada Fluminense, Senhor Presidente, milhares de moradores tiveram perdas total de seus bens, adquiridos, como sempre, à base de muito sacrifício. Muitos deles estão desabrigados ou desalojados, dependendo da ajuda de parentes e amigos, necessitando também de suporte, itens de primeira necessidade, como alimentos não perecíveis, colchonetes, material de limpeza, fraldas descartáveis, água potável.

Agora, é a luta desesperada dos moradores atingidos para resgatar o que sobrou de seus pertences em meio a um emaranhado de lama, esgoto, lixo e poeira.

Infelizmente, é sempre assim, Senhor Presidente. No Rio de Janeiro, todo verão é a mesma coisa: favelas da capital e bairros pobres da Região Metropolitana, especialmente da Baixada Fluminense, são devastados por chuvas torrenciais, mais do que típicas entre os meses de dezembro e abril.

Empurradas que são para áreas de risco, devido às péssimas condições de habitação oferecidas aos pobres, dezenas de milhares de pessoas enfrentam, anos após anos, a via crucis do desabrigo e tantos outros transtornos, como perdas de entes queridos, a exemplo do que aconteceu, desta vez, com uma senhora de 60 anos, no bairro Riachão, em Nova Iguaçu, o que é ainda muito mais grave.

Me consola e me conforta um pouco, Senhor Presidente, o fato de não ter a minha querida Nilópolis nas estatísticas do caos que as chuvas de Verão sempre provocam. Graças a Deus, todos os investimentos que levamos para a cidade estão garantido à sua população enfrentar as chuvas de fim de ano com segurança e um pouco mais de tranquilidade.

De resto, só me resta pedir a Deus que de força e sabedoria aos prefeitos Nelson Bornier, de Nova Iguaçu, e Max Lemos, de Queimados, no sentido de que consigam superar mais este desafio de devolver dignidade àquele povo ordeiro e trabalhador, mas que ainda sofre, repito, ano após ano, com a fúria da natureza e o eterno descaso do poder público.

Muito obrigado, senhor presidente!

Comentário

Leave a comment

%d blogueiros gostam disto: