Simão Sessim destaca parceria entre CISBAF e Instituto Nacional de Cardiologia

O segundo-secretário da Câmara dos Deputados, Simão Sessim (PP-RJ) usou a tribuna do plenário, nesta quinta-feira (08), para elogiar o convênio de cooperação técnica assinado pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde da Baixada Fluminense (CISBAF) e o Instituto Nacional de Cardiologia (INC). A parceria visa ampliar as redes de Atenção Cardiovascular na região, qualificar o serviço, estruturar os centros de referência em locais estratégicos e capacitar os profissionais municipais de saúde.

“A Baixada Fluminense clama, há décadas, por socorro médico, principalmente no tocante ao atendimento de casos mais complexos, que envolvam, por exemplo, pacientes politraumatizados ou enfartados”, disse Simão Sessim.

Com recursos federais o CISBAF vai criar na Baixada Fluminense três núcleos de referência para atendimento aos casos com maior complexidade. Médicos e enfermeiros que atuam na atenção básica serão preparados para que possam analisar e identificar possíveis problemas do coração através do eletrocardiograma.

Segundo o Instituto Nacional de Cardiologia, a organização da rede regional de cardiologia na Baixada terá condições de absorver até 80% dos atendimentos na especialidade. Os núcleos serão equipados com eletrocardiógrafo, ecocardiógrafo e esteira ergométrica. Somente os casos de alta complexidade, não resolvidos nestes núcleos, serão encaminhados ao INC.

Simão Sessim falou também do trabalho da secretária-executiva do CISBAF e do diretor-geral do INC. “Só me resta parabenizar a doutora Rosângela Bello e o Diretor-Geral do Instituto Nacional de Cardiologia, José Leôncio de Andrade Feitosa, por esta importante decisão em nome de milhões de habitantes da Baixada Fluminense, que precisam ser olhados e cuidados com carinho, respeito e dignidade”.

Rosângela Belo fez questão de responder o pronunciamento do deputado e destacou a atuação de Simão Sessim em defesa da população da Baixada Fluminense. “O seu exemplo de luta incessante pela saúde da Baixada é o que nos move a continuar trabalhando na busca de mais serviços para melhorar o atendimento à nossa população”.

simao-sessim-destaca-parceria-entre-cisbaf-e-instituto-nacional-de-cardiologia

Segue Discurso na Íntegra

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, a Baixada Fluminense acaba de dar mais um passo importantíssimo a caminho da preservação da saúde de cerca de 4 milhões de habitantes, ainda bastante desassistidos no que se refere ao atendimento médico considerado de média e grande complexidades.

Na semana passada, o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Baixada Fluminense, o CISBAF, e o Instituto Nacional de Cardiologia assinaram importante convênio de cooperação técnica com o objetivo de elaborar um projeto de expansão das Redes de Atenção Cardiovascular na região.

Além de ampliar e qualificar o serviço, o projeto visa ainda estruturar centros de referência em locais estratégicos e capacitar os profissionais municipais de saúde.

Eu, particularmente, Senhor Presidente, fico bastante sensibilizado com iniciativas deste porte, já que a Baixada Fluminense clama, há décadas, por socorro médico, principalmente no tocante ao atendimento de casos mais complexos, que envolvam, por exemplo, pacientes politraumatizados ou enfartados. Muitos deles, morrem à míngua, peregrinando à caça de uma emergência por hospitais da capital fluminense.

Com recursos federais e a chancela do Instituto Nacional de Cardiologia, o CISBAF quer criar na Baixada Fluminense, de dois a três núcleos de referência, localizados em municípios estratégicos, exatamente para atendimento aos casos com maior complexidade. Além disso, Senhor Presidente, o projeto irá capacitar os profissionais, como clínico geral e enfermeiro, que atuam na atenção básica, para que eles possam analisar e identificar possíveis problemas do coração, através do eletrocardiograma.

E como a atenção básica é a porta de entrada no sistema de saúde, é preciso, de fato, qualificar esses profissionais para que possam dar o encaminhamento necessário às demandas que não são poucas naquela região, da qual sou representante nesta Casa do Povo.

Até porque, Senhor Presidente, como bem esclarece a Secretária Executiva do CISBAF, doutora Rosângela Bello, uma doença diagnosticada logo no seu início, pode ser melhor acompanhada, evitando com mais facilidade sua complicação.

E nada melhor, é bem verdade, para a população da Baixada Fluminense, do que ter disponível a vasta estrutura de ensino e pesquisa do Instituto Nacional de Cardiologia do Rio de Janeiro, que pode oferecer ainda capacitação nas dependências da própria instituição federal ou nas unidades municipais de saúde.

Com o acordo firmado, a rede regional de cardiologia, na Baixada Fluminense, terá condições de absorver até 80% dos atendimentos na especialidade, vez que deverão ser montados núcleos com equipamentos básicos, a exemplo de eletrocardiógrafo, ecocardiógrafo e esteira ergométrica.

Toda esta estrutura, Senhor Presidente, certamente funcionará de forma eficiente e com custo de manutenção menor para os municípios. E Somente os casos de alta complexidade, não resolvidos nestes núcleos, serão encaminhados ao Instituto Nacional de Cardiologia.

O primeiro passo para a elaboração do projeto regional, que é o levantamento dos dados municipais, graças a Deus, já está sendo dado através dos coordenadores que compõem a Câmara Técnica de Cardiologia do CISBAF. A próxima medida será discutir um plano de ação de curto, médio e longo prazos.

Isto posto, Senhor Presidente, só me resta parabenizar a doutora Rosângela Bello e o Diretor-Geral do Instituto Nacional de Cardiologia, Senhor José Leôncio de Andrade Feitosa, por esta importante decisão em nome de milhões de habitantes da Baixada Fluminense, que precisam ser olhados e cuidados com carinho, respeito e dignidade.

Muito obrigado, Senhor Presidente!

Comentário

Leave a comment

%d blogueiros gostam disto: