Homenagem às 29 vítimas da chacina na Baixada Fluminense

“É preciso lembrar, protestar, fiscalizar e denunciar atitudes nefastas, sobretudo se praticada por agentes públicos que tem o dever de zelar pelo bem-estar da sociedade”. Foi neste tom de protesto que o deputado federal Simão Sessim (PP-RJ), segundo-secretário da mesa diretora, usou a tribuna da Câmara dos Deputados para prestar mais uma homenagem às vítimas da chacina da Baixada Fluminense, que vitimou 29 pessoas (12 no município de Queimados e 17 em Nova Iguaçu).

“Eram pedestres, pessoas comuns, que caminhavam no início da noite de 31 de março pelas ruas, a caminho de casa, muitos deles voltando do trabalho, e que acabaram se tornando alvo aleatório dos famigerados assassinos, PMs à paisana, totalmente ensandecidos”, disse Simão Sessim.

O deputado registrou no plenário que já se passaram 9 anos, e fez questão de destacar que a Baixada Fluminense se vestiu de lutou para lembrar da maior “atrocidade” praticada na região.

“O motivo do estopim, da barbárie, foi, pasmem, a insatisfação dos criminosos com mudanças feitas pela cúpula da corporação em uma série de batalhões, inclusive na Baixada Fluminense, em busca da ordem, da disciplina e da moralidade pública”, relatou Sessim.

O parlamentar disse, ainda, que as marcas da chacina não serão esquecidas pelos moradores da Baixada. “Lamentavelmente, ainda hoje, em cada esquina da Rua Gama, em Nova Iguaçu, um dos palcos da perversidade, da crueldade assassina, a lembrança do massacre ainda é viva na memória dos moradores da região. Muitos deles se mudaram para bem longe”.

Simão Sessim novamente se solidarizou com as famílias das vítimas e relatou as várias manifestações e orações ocorridas no último domingo (30), em locais onde algumas das vítimas perderam suas vidas, como num trecho da Rodovia Presidente Dutra.

Comentário

Leave a comment

%d blogueiros gostam disto: