Estatística mostra aumento de 28% da criminalidade na Baixada Fluminense

O segundo-secretário da Câmara dos Deputados, deputado federal Simão Sessim (PP-RJ), usou números do governo do Rio de Janeiro para relatar no plenário o clima de medo da população da Baixada Fluminense com a violência.

Dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), que faz a estatística da criminalidade no estado, mostram que houve um aumento de 28% nos casos de homicídios na Baixada Fluminense, na comparação de janeiro a setembro de 2012, com o mesmo período de 2013.

“Já nos primeiros dias deste ano, a Baixada Fluminense ganhava o noticiário policial dos principais veículos de comunicação do país, ao se tornar palco de oito execuções, num período de apenas 24 horas, em diferentes pontos da cidade de Nova Iguaçu. Dias depois, uma criança de 12 anos também era assassinada, vítima de bala perdida, pelos bandidos, em Belford Roxo”, relatou o deputado.

O deputado citou como exemplo a cidade de Nilópolis, tida até então, como uma região pacata, mas que já vive aterrorizada com a onda crescente de mortes e roubos.

Segundo o deputado, nem mesmo na época do Esquadrão da Morte, nos anos 60 e 70 que era formado por justiceiros, pagos, geralmente, por comerciantes para punir pequenos viciados em drogas e ladrões de residências, se registrou situação semelhante a que está dominando a Baixada Fluminense nos dias de hoje.

“Não, que sejamos contra as UPPs, mas desde o seu advento nas áreas de conflitos do crime organizado, na capital fluminense, traficantes encurralados pela Polícia, passaram a buscar refúgio em cidades da Baixada Fluminense, onde agora também levam o medo, o terror e o desespero. É como se tivéssemos jogando o nosso lixo no quintal dos outros” avaliou o parlamentar.

Comentário

Leave a comment

%d blogueiros gostam disto: