Eleito Deputado Federal 10 vezes seguidas!

Quarenta anos de vida pública dedicada ao serviço público pela cidade de Nilópolis,
pelo Estado do Rio de Janeiro e pelo Brasil!

Mensagem de Natal

O deputado federal Simão Sessim deseja um feliz natal e um ano novo com paz.

Câmara Federal faz homenagem ao Dia Nacional do Ministério Público

A Câmara dos Deputados realizou, na última terça-feira (15), sessão solene para celebrar o Dia Nacional do Ministério Público. O deputado fereral Simão Sessim (PP/RJ), representando a bancada do Partido Progressista, destacou a atuação dos procuradores, promotores de justiça, servidores públicos e outros profissionais que compõem “um dos principais pilares do Estado de direito, atuando na defesa da ordem jurídica, da democracia e dos interesses sociais e individuais indisponíveis”.

Simão Sessim lembrou que o Ministério Público da União e o Ministério Público dos Estados são conquistas inalienáveis da sociedade brasileira, e agem, empenhadamente, pelo cumprimento das leis e dos direitos fundamentais do cidadão.

Em 1988, aqui, exercendo o terceiro mandato consecutivo de deputado federal em conjunto com a função de constituinte, me deparei com uma questão nova na composição do Estado Brasileiro: a proposta para dar ao Ministério Público a personalidade de autonomia com relação aos três poderes tradicionais. Ao atribuir ao Ministério Público endereço novo na Constituição, conferimos-lhe atuação na tutela dos interesses difusos e coletivos: consumidor, meio ambiente, defesa dos direitos da pessoa portadora de deficiência, da criança, do adolescente, dos idosos, das comunidades menos protegidas pelo Estado, enfim, de defesa da cidadania”, disse.

Ao afirmar que o Ministério Público Federal está presente em todos os estados brasileiros com mais de 200 unidades desconcentradas, Simão Sessim cumprimentou todo grupo de servidores do Ministério Público, tanto procuradores como os auxiliares, pelo trabalho realizado e parabenizou todos pelas comemorações do dia Nacional do Ministério Público.

O parlamentar encerrou o pronunciamento usando palavras do discurso histórico do deputado Ulysses Guimarães, quando ele entregou ao povo brasileiro a Constituição de 1988. “Há, portanto, representativo e oxigenado sopro de gente, de rua, de praça, de favela, de fábrica, de trabalhadores, de cozinheiras, de menores carentes, de índios, de posseiros, de empresários, de estudantes, de aposentados, de servidores civis e militares, atestando a contemporaneidade e autenticidade social do texto que ora passa a vigorar(…) É o clarim da soberania popular e direta tocando no umbral da Constituição para ordenar o avanço no campo das necessidades sociais“.

Simão Sessim ressalta notas da Baixada no Ranking do Portal da Transparência

O deputado federal Simão Sessim (PP/RJ) registrou, na tribuna da Câmara dos Deputados, o bom desempenho de parte dos municípios da Baixada Fluminense, a exemplo de Nova Iguaçu e Duque de Caxias, cujas prefeituras conquistaram nota 10 no Ranking Nacional do Portal da Transparência. “A honrosa posição de cidades mais transparentes do País, entre os 5.568 municípios brasileiros avaliados pelo Ministério Público Federal, concentra-se, na clareza das contas públicas como instrumento para fortalecer a participação social no controle das receitas e despesas administradas pelo poder público”, disse Simão Sessim.

Queimados, com nota 8,5 e Belford Roxo, com 8,30, também alcançaram boas notas.

Para Simão Sessim, não há como ver uma participação efetiva da sociedade brasileira na gestão pública sem se falar na questão da transparência. “Não se pode falar em transparência se o município não tem um portal adequado, aderente à lei ou se a prefeitura não regulamenta a Lei de Acesso à Informação e não disponibiliza um serviço ao cidadão, efetivamente onde se possa pedir informação e obter respostas”.

O deputado falou também que o Portal da Transparência dos governos federal, estadual e municipal tem que prestar contas do que é feito com o dinheiro público, e é obrigação do prefeito disponibilizar informações para qualquer cidadão, sobre quanto arrecadam e como gastam o dinheiro suado do contribuinte.

Simão Sessim lamentou que a cidade de Nilópolis não apareça na lista das cidades que mais se destacam no país pelo Portal da Transparência. “Infelizmente, ela se situa na septuagésima primeira posição, com 2,4 pontos, entre os 92 municípios fluminenses. Sabe-se lá qual a sua posição no ranking nacional. É, portanto, um péssimo sinal de que ali não se faz um governo transparente, de acordo com as especificações da Lei federal de Acesso à Informação”, comentou o parlamentar.

Simão Sessim critica ação violenta contra cinco jovens no RJ

O Rio de Janeiro está mais uma vez de luto, chorando a perda estúpida de cinco jovens que foram cruelmente fuzilados e mortos, sem dó nem piedade”. Mostrando indignação e revolta, o deputado federal Simão Sessim (PP/RJ), deu início ao seu pronunciamento no plenário na Câmara dos Deputados nesta semana. O parlamentar relatou a morte de cinco jovens, entre 16 e 25 anos, último final de semana, por agentes públicos da Polícia Militar. “O crime praticado foi uma confraternização por conta de um deles, que estava, vejam os senhores, comemorando o primeiro salário de sua vida como integrante do projeto Jovem Aprendiz em um supermercado”, disse.

Os rapazes, todos de comunidade carente do bairro Costa Barros, saíam para lanchar, quando tiveram o carro em que viajavam metralhado por policiais do 41º BPM. Foram mais de 50 tiros sem chance de sobrevivência.

Simão Sessim indagou: “até quando a sociedade fluminense vai ter que conviver com esse tipo de barbárie que já se tornou rotina entre integrantes do aparelho da Segurança Pública no Rio de Janeiro? Mata-se porque se confunde peça de moto, macaco hidráulico e até skate com fuzil, como ocorreu em três das últimas cinco execuções sumárias praticadas também por PMs. E as vítimas: pobres, negras e moradores de comunidades na periferia da Região Metropolitana do Rio de Janeiro… Parece que esses ingredientes, por si só justificam a forma estupida como alguns policiais fluminenses agem irresponsavelmente, manchando, maculando, vergonhosamente, uma instituição centenária, cuja missão seria zelar pela integridade física e moral de todos nós cidadãos” desabou Simão Sessim.

Ao dizer que está “chocado, indignado e envergonhado”, Simão Sessim, deixou uma mensagem de conforto e condolências aos familiares de Roberto de Souza Penha, Carlos Eduardo Silva, Cleiton Corrêa de Souza, Wilton Esteves Domingos Junior e Wesley Castro Rodrigues.

Simão Sessim pede que o Brasil adote sistema usado em Nova York para as escolas

O deputado federal Simão Sessim (PP/RJ), aproveitou a sessão da Câmara do Deputados, esta semana, para falar de Educação e citou uma reportagem publicada pela revista Exame, na edição de 25 de novembro, que lhe causou um sobressalto pelo título: “É preciso fechar escolas“.

O parlamentar relatou que imaginou que seria mais uma notícia da decisão do Governo de São Paulo, que fechou 94 escolas. Mas, se surpreendeu, pois a matéria falava sobre uma entrevista com o americano Joel Klein, ex-secretário de Educação de Nova York.

Ele, na verdade, substituiu escolas grandes por unidades menores, de mais fácil administração. E, as notícias que se tem do tempo dele é de resultados bem positivos”, disse.

Joel Klein escreveu um livro para registrar a experiência, da gestão dele frente à secretaria, livro este, que está na lista dos mais vendidos nos Estados Unidos.

thumb-simao-sessim-pede-que-o-brasil-adote-sistema-usado-em-nova-york-para-as-escolas

O deputado destacou um pequeno trecho da entrevista, que fez questão de reproduzir. Fala sobre a parceria da IBM, empresa de tecnologia com a prefeitura de Nova York.  Diz Joel Klein: “Criamos vários modelos inovadores de escola, mas a que mais se expandiu até agora foi a P-Tech, uma parceria com a IBM. Lá, em vez de o aluno fazer o ensino médio em quatro anos, ele leva seis anos e termina com um diploma técnico em ciência de computação. As aulas práticas começam já no primeiro ano. A IBM moldou o currículo para adequá-lo às necessidades de empresas de tecnologia e certifica os estudantes no final. Quase metade dos formandos acaba sendo contratada pela empresa. Esse modelo está se replicando pelo mundo“.

O parlamentar finalizou o pronunciamento afirmando que as secretarias de educação das cidades do Brasil poderiam valer-se da experiência do ex-secretário de Nova York. “Seria uma iniciativa importante a permitir a ascensão econômica e social dos jovens brasileiros”.

Simão Sessim pede atenção para crescimento de desemprego

No Brasil, 1,9 milhões de pessoas estão sem emprego e o número aumenta a cada nova pesquisa do IBGE. Com este índice preocupante, o deputado federal Simão Sessim (PP/RJ se dirigiu aos demais deputados durante sessão da Câmara, nesta quarta-feira (25). O parlamentar disse que vê com muita preocupação a situação desses trabalhadores.

Essa semana, assisti à matéria na TV Globo sobre uma fila de mais de um quilômetro composta por mais de 20 mil pessoas, à procura de emprego. Um conjunto de pessoas que fizeram declarações de machucar o coração da gente. Muitos na fila estão à espera de uma oportunidade não há alguns dias ou semanas, mas meses, anos. Como será o dia de cada uma daquelas pessoas? Como fazem para se alimentar, se movimentar à busca de emprego?”, falou Simão Sessim.

Para muitas dessas pessoas, o final do ano seria a oportunidade para empregos temporários, em razão das festas e compras do final do ano. Ocorre que a economia está em queda livre e os sindicatos do setor indicam uma queda de 35% no número dos empregos temporários.

Nós aqui na Câmara, no Congresso Nacional, representantes de toda essa multidão, deveríamos diante desse drama nacional, interromper por alguns instantes a preocupação com a política, com a disputa de poder para queimar as nossas energias, criatividade, dedicação na análise do problema e busca de uma solução”, ressaltou o parlamentar.

Simão Sessim lembrou o saudoso Gonzaguinha que criou uma poesia, que se fez letra numa das mais famosas músicas dele, que deveria ser “um mantra” para a Câmara dos Deputados: “Um homem se humilha se castram seu sonho. Seu sonho é sua vida e a vida é trabalho. E sem o seu trabalho, o homem não tem honra e sem a sua honra, se morre, se mata. Não dá pra ser feliz”.

Simão Sessim faz homenagem ao Município de Queimados

O deputado federal Simão Sessim (PP/RJ), usou a tribuna da Câmara dos Deputados para homenagear o município de Queimados, que completou no dia 25 de novembro, 25 anos de emancipação política. “Sem dúvida alguma, trata-se de uma data muito especial para aquela população trabalhadora, ordeira e muito hospitaleira, e que ocupa, com certeza absoluta, um espaço enorme bem no fundo do meu coração”, disse.

Queimados possui uma população estimada em 160 mil habitantes e de acordo com Simão Sessim apresenta uma “grande fase de crescimento econômico, iniciada com a chegada, em 2008, do atual prefeito da cidade, Max Lemos Rodrigues”.

A cidade começa a agregar indústrias de diferentes setores, que vão desde alimentos e bebidas, passando por cosméticos, equipamentos navais, plásticos, têxteis e forjarias, além de empresas como Coca-Cola, MRS, Ajebrás e Petrobrás.

Simão Sessim relatou que Queimados já recebeu no atual governo cerca de R$ 1 bilhão em investimentos, devendo atrair mais R$ 500 milhões com a chegada recente do Arco Metropolitano que está pavimentando a rodovia do crescimento econômico da Baixada Fluminense.

O parlamentar homenageou, também, os moradores da cidade. “Os queimadenses têm me dado demonstrações inequívocas de apoio, apreço, carinho ao longo desses dez mandatos consecutivos neste parlamento. E sempre que posso, não tenho medido esforços no sentido de também levar a minha contribuição para ajudar no crescimento e desenvolvimento, cada vez maior, da cidade que aprendi a admirar e amar como um filho adotado, que percebo ter sido, por seus 160 mil habitantes”.

Pílula do Câncer é tema de Comissão Geral na Câmara dos Deputados

thumb-pilula-do-cancer-e-tema-de-comissao-geral-na-camara-dos-deputados

Da esquerda para a direita: Antônio Navarro, Diretor Superintendente do Hospital Amaral Carvalho; Éderson Mattos, Coordenador do Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Amaral Carvalho; Leandre, deputada federal; Arthur Maia, deputado federal; Angélica Rodrigues, Coordenadora dos Departamentos de Prevenção e Pesquisa em Oncologia e Membro do Conselho Consultivo da Associação de Combate ao Câncer do Centro-Oeste de Minas Gerais – ACCCOM; e Simão Sessim, deputado federal.

A Câmara dos Deputados substituiu a Sessão Plenária manhã de terça-feira por uma Comissão Geral, que é convocada para as situações e temas de importância maior para a sociedade. O tema foi o uso ou não da pílula do câncer, substância fosfoetanolamina sintética.

Presente, o deputado Simão Sessim fez um emocionado pronunciamento. Vamos às partes mais importantes dele. Na íntegra ele está publicado no site da Câmara dos Deputados.

Com que prazer, Sr. Presidente, com que alegria e — por que não dizer? — com que emoção participo desta sessão! Uma das melhores nesses 37 anos em que estou na Casa, no exercício do meu décimo mandato.

A “pílula do câncer” é fruto de uma pesquisa  da Universidade de São Paulo, em São Carlos, cuja substância denomina-se fosfoetanolamina sintética, fato que coloca o Brasil na dianteira do mundo desenvolvido. A substância, em pouco tempo, oferecerá cura para uma doença que dizima de 200 a 300 mil brasileiros por ano.

E eu me coloco aqui com prazer, com alegria e com emoção, queridos amigos, colegas, visitantes. Eu falo por necessidade e por causa própria. Eu estou com um câncer de próstata. Recebi essa notícia, há 4 meses, no consultório do Dr. Miguel Srougi, talvez um dos mais importantes urologistas do mundo. Depois de uma cirurgia na uretra, ele me disse: Tenho uma notícia em relação à qual você tem que tomar providências urgentes. Estou vendo um câncer. Pude ver células cancerígenas através da uretra.

Fotos: Alex Ferreira - Acervo Câmara dos Deputados

Fotos: Alex Ferreira – Acervo Câmara dos Deputados

E ele me disse: Não vamos perder tempo. Ele fazia em mim o toque retal, o exame de PSA e não descobria nada. E só quando examinando o local é que ele pôde descobrir a doença. E aí ele me disse que havia várias opções de tratamento, uma delas a cirurgia, que seria muito radical, muito violenta para a minha idade. Eu faço 80 anos agora em dezembro.

Ele não recomendava a cirurgia, mas recomendava a radioterapia, à qual eu me submeti. Fiz 39 sessões de radioterapia. Agora, no próximo dia 10, já são passados 2 meses, e eu poderei fazer o exame de sangue que vai dizer se o tratamento eliminou ou não o câncer na minha próstata. E eu acredito que sim, porque a estatística diz que 90% a 95% dos pacientes tratados com radioterapia conseguem o sucesso.

Mas bem que passou pela minha mente a pílula. Quando li, eu perguntei, mas me disseram: Não. Nós vamos fazer primeiro a radioterapia. E eu me lembro desse tratamento, que ocorreu agora, há quase 2 meses. Eu me lembro daquela gente esperançosa que passava comigo por ali. Alguns tinham câncer de garganta, outros de laringe, outros de pescoço, de cabeça. Era tanta gente que eu pensava: Meu Deus, não aparece um remédio para curar essas pessoas?

Eu já tive outro câncer, que ocorreu no rim e está eliminado. Mas, para esse câncer na próstata, eu ainda tenho que pedir a Deus um sopro de vida para que eu possa ver não só esta Casa, o Governo, os nossos cientistas, os cientistas do mundo abrindo o jornal e vendo que o remédio foi descoberto. Deus me dê esse sopro de vida! Eu quero ver que a pílula do câncer, o remédio do câncer está descoberto. Aí, eu posso morrer tranquilo, porque sei que nós teremos uma trincheira importante para debelar essa doença, que é muito difícil. Tem sido muito difícil suportá-la.

Sei o que foi esse tratamento. Passei por momentos de fadiga, de diarreia, de tudo, mas enfrentei as 39 sessões. Encerrando, quero dizer que este testemunho é de quem, como tantos cancerosos neste País e no mundo, apela para que Comissões Gerais como esta, reuniões da Comissão de Seguridade Social e debates no Congresso e em todos os lugares possam incentivar os nossos cientistas, para que não parem, para que continuem descobrindo porque, sem dúvida alguma, ao final, descobrirão o grande desejo nosso, que é o remédio contra o câncer.
Obrigado, Sr. Presidente.

Assim que encerrou o discurso, o deputado Simão Sessim recebeu os cumprimentos dos colegas e uma palavra do deputado Arthur Oliveira Maia que presidia a sessão: “Deputado Simão Sessim, a Casa agradece o seu depoimento verdadeiro, emocionado. Sem dúvida, todos aqueles que estão nos ouvindo através do sinal da TV Câmara e que têm problema semelhante ao de V.Exa. se sentem confortados pelo seu exemplo de fé, de esperança e, sobretudo, de coragem”.

Simão Sessim critica o péssimo atendimento hospitalar no Rio Janeiro

O deputado federal Simão Sessim (PP-RJ), chamou a atenção do governo para rever a rotina de atendimento médico nos hospitais, postos e unidades de saúde, que segundo ele, está fazendo com que os pacientes “penem” atrás de atendimento, “muitos morrem sem conseguir uma consulta médica, disse o deputado”.

De acordo com reportagem do Jornal Extra, no período de janeiro a outubro deste ano, 19 mil e 600 pessoas tiveram que bater às portas do judiciário para conseguir o atendimento médico. “É lamentável, porque quando o governo criou as Unidades de Pronto Atendimento, o objetivo era tornar mais ágil e melhor o atendimento médico. No entanto, a situação ficou pior”, afirmou.

Simão Sessim declarou que o atendimento médico com qualidade é um desafio, que parece impossível alcançar. O deputado demonstrou muita preocupação com essa situação e disse que o problema deve se agravar por causa da falta de saneamento básico, da violência, da desnutrição, das tensões pela falta de emprego e por outras tantas situações que criam doenças e lotam os hospitais.

Diante da ineficiência dos órgãos de governo, os problemas vão sendo transferidos de um segmento para outro. Agora, da saúde para o Poder Judiciário. A solução está na revisão das rotinas dos governos e na necessidade de uma lei de responsabilidade social, que puna quem, nos governos, não cumpra o papel que lhe é designado”, desabafou o parlamentar

Simão Sessim faz homenagem ao dia da Consciência Negra

O deputado federal Simão Sessim PP-RJ, aproveitou a sessão da Câmara dos Deputados desta quarta-feira (18), para falar do Dia Nacional da Consciência Negra que se comemora no dia 20 de novembro.

O deputado destacou a importância da data afirmando os brasileiros ainda lutam por uma sociedade igualitária, democrática e mais humana e mais justa para todos os cidadãos, independentemente da questão de raça, credo ou condição social.

O dia 20 de novembro coincide com a morte de Zumbi, o último dos líderes do Quilombo de Palmares. Ele simboliza a luta do negro contra a escravidão, pois morreu enquanto defendia a sua comunidade e lutava pelos direitos do seu povo.

O Dia da Consciência Negra é uma forma que encontramos de lembrar o sofrimento dos negros ao longo da história do Brasil, tentando assim garantir seus direitos sociais”, disse o parlamentar.

Simão Sessim explicou que a abolição não representou o fim dos problemas sociais para o povo o negro e pediu a valorização e o respeito aos valores africanos.

O racismo e a resistência à inclusão social na sociedade brasileira são evidentes. Se hoje temos várias leis que defendem esses direitos, a exemplo de cotas em universidades, é porque, uma vez marginalizados, os negros ainda não conseguiram conquistar os mesmos espaços de trabalho em relação aos seus irmãos brancos. No Brasil, mais de um século depois da suposta abolição da escravatura, milhares de pessoas ainda são submetidas a trabalho em situação degradante”, argumentou Simão Sessim.