Eleito Deputado Federal 10 vezes seguidas!

Quarenta anos de vida pública dedicada ao serviço público pela cidade de Nilópolis,
pelo Estado do Rio de Janeiro e pelo Brasil!

Provérbios 22. “Vale mais ter um bom nome…”

Amanhã será o dia da decisão. Estou com a certeza de que combati o bom combate e guardei a fé.

Bem, é chegado o dia da eleição, depois de uma caminhada longa de quase seis meses em campanha.

Já fiz muitas campanhas eleitorais e nelas vejo momentos mágicos que criam laços definitivos entre as pessoas.

Nas campanhas, eu não saio muito do meu estilo de vida, só aumento o ritmo de trabalho, porque entendo que a política é o trabalho constante, permanente, de manter uma linha direta com a população, para conhecer as suas expectativas e cumprir os seus desejos. Esta é a essência de um mandato.

Durante a campanha, estive em muitas cidades do interior. Em algumas, diversas vezes. Estive em Itaperuna, em Porciúncula, em Natividade, em Nova Friburgo, em Teresópolis, em Petrópolis, em Cabo Frio, em Seropédica, em Itaguaí, em Mangaratiba, em Itaboraí, em Mendes, em Paracambi, em Paulo de Frontin, em Mesquita, em Nova Iguaçu, em Caxias, em Meriti.

Também visitei inúmeras vezes, diversos pontos da Cidade do Rio de Janeiro, em especial, em Santa Cruz, em Copacabana, na Tijuca, no Flamengo, na Barra da Tijuca, em Campo Grande, em Sepetiba, Anchieta, Deodoro, enfim, em todos os bairros da Cidade.

Caminhei de novo e por várias vezes, todas as ruas da minha cidade, a minha querida Nilópolis.

Em cada lugar por onde passei, deixei amigos e confirmei a certeza do que está colocado no primeiro versículo do Capítulo 22 do livro de Provérbios: “Vale mais ter um bom nome do que muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a riqueza e o ouro”.

Por isso, estou feliz.

Amanhã, teremos o resultado da eleição. No entanto, uma vitória já conquistei: consegui conduzir a minha campanha com absoluta lisura, confiança na verdade e fé no Senhor Jesus.

É hora de decisão

A coluna Informe do jornal O DIA, do jornalista Fernando Molica, apresenta resultados do IBOPE, com o deputado Simão Sessim entre os mais votados na eleição do próximo domingo.

Ontem, passei o dia nas ruas de Nilópolis em campanha e às 17 horas, eu segui para Petrópolis.

A estrada estava com pesada neblina, mas como saímos cedo para um encontro que aconteceria às 21 horas, chegamos bem e com tempo para um café e para os cumprimentos iniciais.

Lá estava um grupo de empresários que acredita na política como instrumento de transformação econômica e social. Fiz a tradicional exposição sobre a minha experiência de 32 anos na Câmara dos Deputados; falei sobre o futuro e, no final, pedi o voto de cada um dos presentes.

A repercussão foi ótima. Retornei quando eram quase 23 horas e entrei em casa por volta da uma hora da manhã. Hoje, levantei cedo para ler os jornais e encontrei na coluna do Fernando Molica, no jornal O DIA, uma nota que me deixou feliz, mas me fez compreender que não podemos esmorecer. Estamos a quatro dias da eleição e é preciso lembrar que se a perspectiva de nossa vitória nos anima, estimula também aqueles que disputam conosco o mandato. Eles se ouriçam e podem tentar vencer conquistando votos nossos.

Muito obrigado a todas as pessoas que me ajudaram a chegar até aqui. E, muito obrigado a Deus, pelos livramentos constantes e pela paz que nos tem dado para vencer os desafios.

Diz a nota do Fernando Molica:

Informe do DIA: Problemas à vista para Cabral na Alerj

POR FERNANDO MOLICA

29/09/10

Corrida federal
Entre os federais, os preferidos são Garotinho, Romário, Washington Reis, Jandira Feghali, Leonardo Picciani, SIMÃO SESSIM, Alexandre Cardoso e Glauber.

Revista do Eleitor. Está quase na hora de votar.

O tribunal Superior Eleitoral preparou um bom e instrutivo material para os adolescentes e para a família brasileira.

O Tribunal Superior Eleitoral criou a Revista do Eleitor e disponibilizou o material na internet. Um excelente trabalho de incentivo ao adolescente para o exercício da cidadania, através do voto.

O ambiente http://www.tse.jus.br/revistadoeleitor/# abriga dois exemplares da Revista. Um deles é uma história em quadrinhos que conta a rotina de uma família – Família Brasil – no dia da eleição.

Ana, a filha mais nova, tem 12 anos, gosta de dança, canto e balé. Ela quer ser artista quando crescer.  O Lucas Brasil tem 16 anos, gosta de futebol, skate, filmes de ficção e navega na internet. Apesar de não estar obrigado a votar, ele fez questão de tirar o título e, na história, votará pela primeira vez.

Jair e Rita são os pais, Teresa, a avô, mãe do Jair. Ela está com 72 anos e a não precisaria votar, mas, assim mesmo, votou. Do quadro ainda faz parte o cão Bio, que recebeu este nome em homenagem à votação biométrica.

A segunda revista, “Manual do Professor” passa instruções sobre o modo como votar e sobre as exigências legais a cumprir. O material é apresentado no estilo de uma história em quadrinhos. Há também um material que, recortado, reproduz o modelo de uma urna eletrônica.

Muito bom o material. Didático e estimulador da prática da cidadania.

Gostei!

Um evento importante

O ex-deputado Rubem Medina reuniu um grupo de amigos na Barra para dar apoio  à campanha do Simão Sessim.

Ontem, segunda-feira, dia 20 de setembro, foi um dia de agenda movimentada, como têm sido os dias de campanha, principalmente, nestes momentos mais próximos do dia da eleição.

Um dos compromissos do deputado federal Simão Sessim aconteceu na Barra da Tijuca, no Hotel Transamérica, a partir das 20 horas. Ele conversou com um grupo de pessoas, boa parte delas ligada ao ex-deputado federal Rubem Medina.

Cento e vinte pessoas assinaram a lista de presença. Antes do início da reunião, os organizadores do evento, Paulo Sérgio e sua equipe, colocaram um vídeo no telão com alguns flashes de pronunciamentos do deputado Simão Sessim, com a música de campanha ao fundo.

Eu abri a reunião e passei a palavra para o ex-deputado Rubem Medina, que deu um belo depoimento sobre o trabalho que ele e o Simão Sessim realizaram juntos em Brasília. O Medina chegou a ter nove mandatos consecutivos de deputado federal; Simão disputa o nono.

Depois, o deputado Simão Sessim falou. Primeiro sobre a vida do Rubem Medina, que mereceu dele os melhores elogios. Depois, sobre o próprio trabalho na Câmara dos Deputados.  Simão Sessim falou da sua passagem das salas de aula, como professor, para a política, em razão do desejo de fazer mais pelos alunos: “Eu lecionava matemática e desenho e verifiquei que o ensino puramente acadêmico não resolvia o principal problema dos meus alunos, todos pobres: o emprego. Percebi que era preciso estabelecer o ensino profissionalizante”.

Em seguida, o deputado falou sobre a sua eleição para a Prefeitura de Nilópolis, sobre a sua passagem por uma função técnica no governo do estado, para, em seguida, ser eleito deputado federal.

O evento foi transmitido pela internet em interação direta com as diversas mídias sociais, num trabalho conduzido pelo técnico Cristiano, da Cristiano Web, que esteve presente como voluntário e com a curiosidade de conhecer o deputado Simão Sessim.

Foi um encontro com muitas adesões. 630 pessoas passaram pelo evento através da internet que, somadas às 120 presentes totalizaram 750 pessoas que conheceram um pouco da história política do Simão Sessim.

Mensagem recebida por e-mail

Por meios e mídias diversas, temos recebido mensagens de apoio ao deputado Simão Sessim. Sempre que podemos, publicamos. Pedimos que a Janaína nos cedesse uma foto. Ela preferiu que publicássemos uma foto do viaduto de Nilópolis, obra do tempo do Simão Sessim na prefeitura.

Meu nome é Janaína Freitas Gonçalves. Meus pais moravam em Nilópolis, na Baixada Fluminense, no dia em que eu nasci: 13 de fevereiro de 1979 e, por lá ficamos, até janeiro de 2007, quando eu, com 28 anos, me mudei com eles para o bairro de Laranjeiras, no Rio.

Votei pela primeira vez em 1998. Votei no Garotinho para governador e, por indicação dos meus pais e de alguns amigos, no deputado federal Simão Sessim. Repeti o meu voto no deputado Simão em todas as eleições até a última, em 2006, quando votei na Denise Frossard para governadora, porque me desiludi completamente com o Garotinho.

Morando no Rio, eu transferi o meu título de eleitor para cá, mas sempre tenho notícias de Nilópolis e sou testemunha do trabalho que o Simão Sessim realiza por lá.

No último final de semana, fui a Teresópolis. Estava um frio danado e eu fiquei quase o tempo todo em casa. Sai um pouco no sábado e, na rua principal, vi uma porção de placas de candidatos. Aquilo me deu raiva. Essa turma faz muita sujeira.

Mas, quando entrei numa loja de sapatos que tem perto da entrada do shopping principal, encontrei uma moça que conversava com alguém sobre eleições e pedia o voto para o Simão Sessim: “ele é o candidato do Mário Tricano”, dizia a moça.

Eu entrei na conversa e disse: “olha eu nem sei quem é esse Mário Tricano, mas o Simão Sessim eu conheço. Esse é muito bom sujeito. Eu sou de Nilópolis e posso garantir que se ele é um político maravilhoso. Ele faz uma coisa que nenhum político faz: ele atende o povo na casa dele. O Simão é tão respeitado em Nilópolis, que foi prefeito da cidade há mais de 30 anos e no ano passado elegeu o filho para o lugar.

A moça que defendia o deputado Simão Sessim, virou pra mim e disse: “você sabe que eu devo muito ao Simão e não por conta de algum favor que ele fez diretamente pra mim. Mas, por causa das obras que o Prefeito Tricano fez no meu bairro com os recursos que o Simão conseguiu em Brasília”.

Puxa, gente, eu fiquei feliz e resolvi mandar esse depoimento para vocês. Dê um abraço apertado no deputado, que eu aprendi a chamar em Nilópolis de “tio Simão”.

Beijos.

A Estátua de Bellini

O Ancelmo Góis nos fez voltar no tempo, para rever, na memória, o futebol-arte.

“De encontro entre os torcedores que frequentam o Maracanã, a estátua do Bellini, como é conhecido o monumento na entrada do estádio que oficialmente nem tem este nome, acredite, está desde junho de 2008 sem a placa com os nomes dos jogadores da nossa seleção de 58, a primeira campeã. A secretária do Esporte, Márcia Lins, que  cuida do estádio, diz que  ao tomar conhecimento do roubo  da homenagem, uma “ação de vândalos”, informou a Secretaria de Conservação, criada este ano, e que cuida da área externa do Maracanã.

Ontem, o secretário Carlos Roberto Osório prometeu que em 30 dias a placa estará de volta ao seu lugar. Agora é torcer, é cobrar.”

Coluna do Alcelmo Gois  -O GLOBO -14.09.10


Ancelmo Góis publicou esta nota sobre o desaparecimento da placa que estava colocada aos pés da estátua de Bellini, localizada no Maracanã.

A obra contém uma história interessante do amor e do carinho que o empresário Abraham Medina teve pela Cidade do Rio de Janeiro.

A estátua foi uma homenagem que ele prestou à Seleção de 1958, que conquistou a primeira Copa do Mundo para o Brasil e ao povo do Rio de Janeiro, naquele momento, Capital do País que deixava clara a sua disposição de ser confirmado como o País do Futebol.

Bellini foi capitão do time, uma equipe que contou com a estréia de Pelé, então com 16 ou 17 anos, com o futebol arte de Garrincha, Didi, Zagallo, Vavá, Gilmar, Mazzola e Zózimo, entre outros maravilhosos jogadores, que o mundo reconheceu como craques.

A nota do Ancelmo me fez voltar no tempo. Quando o Brasil se sagrou campeão, eu estava com 23 anos de idade e como sempre gostei de futebol, naqueles dias, parei tudo o que estava a fazer, para torcer pelo Brasil.

O povo brasileiro vibrou em cada jogo e o mundo ficou estupefato com as jogadas que o time brasileiro desenvolvia em campo. Desde o primeiro jogo, ficou evidente a possibilidade absoluta de o Brasil ser campeão.

Apesar da sua superioridade, o time entrou em campo com humildade, jogou cada jogo como se fosse o jogo da decisão. E com humildade, muita alegria, disposição, nós avançamos em direção ao título, jogo a jogo.

Hoje, olho para o futebol praticado por aquele time e verifico que perdemos muito do futebol-arte, da magia que nos fazia contrariar até as leis da física, para, focados, colocarmos a bola na rede.

Valeu, Ancelmo, pela oportunidade de nos fazer voltar no tempo para lembrar do surgimento do futebol-arte, mas para também recordar que houve entre os cariocas, um brilhante empresário, que não pensava duas vezes, quando o Rio de Janeiro era o tema.

Depoimento

Sou Luiz Claudio Bezerra Lacerda, professor, casado,  tenho 37 anos e sou nascido e criado em Nilópolis. Diante do atual cenário político de nossa cidade, resolvi contribuir com este texto, que ilustra bem a situação favorável em que se encontra nossa cidade.

“Para quem sabe ler…”

João concorre, com mais 2 candidatos, ao posto de síndico do meu condomínio pela primeira vez. Ele não tem qualquer planejamento concreto e se mostra instável no trato com vizinhos, deixando transparecer, inclusive, certa falta de caráter. João adora intimidar a todos repetindo a gritos o irritante bordão: “É JOÃO NELES !!!”.  Seu único motivo é tentar anular as chances de José manter o posto que tão bem conduz.

José síndico por OITO mandatos consecutivos, íntegro, presenciou a construção de cada casa, cada metro quadrado, e conhece cada morador. Em reuniões de síndicos de condomínios sempre se destaca, visto que todos querem escutar o que tem a dizer em virtude de sua vasta experiência.

Muitas vezes nesses longos anos como síndico, abriu mão de estar com a própria família para atender às necessidades dos que nele confiaram.

Hoje, além de toda a experiência, Seu José conta com a credibilidade de ter chegado à melhor idade sem qualquer mácula em seu currículo. E seus filhos, já crescidos, o ajudam na administração enquanto ele trata de buscar recursos para propiciar aos moradores mais bem-estar.

Fiel a seus princípios, e homem de palavra, José tenta manter-se no posto para o bem comum em sua vizinhança.

Já o terceiro candidato é uma empresa. Em outras palavras, raramente seus agentes veriam os moradores do local. Tudo seria tratado da forma mais fria possível. Muitos moradores sequer chegariam a conhecê-lo.

Com base nas informações acima, quem deve assumir o posto de síndico do condomínio onde moro?

“É uma honra ter ajudado a elaborar o Código de Defesa do Consumidor”

Editor: Jackson Vasconcelos

O deputado federal Simão Sessim fala sobre a elaboração do Código de Defesa do Consumidor.

Ontem, numa conversa informal em Seropédica, cidade que ele tem ajudado com o seu trabalho em Brasília, o deputado federal Simão Sessim comentou as sessões agitadas da Câmara e do Congresso Nacional, para votação, em 1990, do Código de Defesa do Consumidor, que comemorou 20 anos de existência.

“Estávamos em 1990 e eu exercia o 3º mandato de deputado federal. Naquele ano, trabalhamos muito para dar ao Brasil uma legislação moderna, que garantisse as relações de consumo. Antes da lei, a população esperava décadas para ser ressarcido de um prejuízo causado pelo comércio. Muita gente até desistia. Quando você comprava algo com defeito ou pagava por um produto e não recebia ou recebia outro com qualidade inferior, ficava com o prejuízo”.

Simão Sessim lembrou que um dos temas mais debatidos foi a questão nova da propaganda enganosa. “O Brasil não tinha experiência com o fato. E, poucos parlamentares entendiam que é preciso haver responsabilidade na propaganda. Mas, o conceito venceu”.

O deputado lembrou ainda que antes do Código, promulgado em setembro de 1990, as relações de consumo no Brasil eram enquadradas numa Lei de 1951, a chamada Lei dos Crimes Contra a Economia Popular, que tinha – tem ainda, porque continua em vigor – o nítido teor criminal e, por isso, alongava no tempo as questões mais simples nascidas da relação de consumo.

“A lei, na verdade, entrou em vigor em março de 1991, seis meses após promulgada pelo Presidente da República e até nisso ela foi moderna e democrática, porque concedeu um prazo para adaptações”.

Em seguida, Simão Sessim lembrou o problema criado pelos bancos, que se entendiam dispensados do cumprimento dos dispositivos do Código. “Uma bobagem”, afirmou o deputado. “Mas, uma bobagem que deu trabalho aos defensores dos consumidores e custou caro ao Brasil, porque durante quase 10 anos, até que o Supremo Tribunal Federal definisse a questão, a rede bancária, as operadoras de cartão de crédito e as instituições financeiras conseguiram fugir à responsabilidade de cumprir os dispositivos do Código”, ele salientou.

No final, Simão Sessim afirmou: “Por decisões como a que deu existência ao Código de Defesa do Consumidor, é que o exercício do mandato legislativo vale a pena. E, o nosso trabalho no campo do Direito do Consumidor, não parou em 1990. Temos ido além, para estabelecer e aprimorar normas importantes para as relações de consumo e uma delas, mais recente, diz respeito aos serviços de telemarketing, outro avanço importantíssimo neste campo”. Encerrou o deputado Simão Sessim.

Itaguaí, compromisso de uma vida toda

Dois importantes líderes religiosos de Itaguai falam sobre o meu trabalho que realizo há 32 anos em favor da cidade.

Nós somos testemunhas do trabalho que o deputado federal Simão Sessim, que cumpre o oitavo mandato consecutivo de deputado federal, tem feito em defesa da educação profissional, dos aposentados e pensionistas e dos interesses da população mais pobre.

Nestes 32 anos de mandato, ele dedicou especial atenção a Itaguaí e conquistou para a cidade, entre outras obras e realizações:

1. A construção da estrada Rio-Santos.

2. O Porto de Sepetiba e depois, a troca do nome dele para Porto de Itaguaí, decisão que tornou o município conhecido em todo o mundo.

3. A dragagem dos rios que atravessam a cidade.

4. A construção do sistema de abastecimento de água.

Desse modo, o deputado federal Simão Sessim abriu para Itaguaí a oportunidade de receber os benefícios do desenvolvimento econômico e social, que acontece em toda a região e no estado, situação responsável pela construção do Arco Metropolitano, que também tem contado com o apoio dele desde a elaboração do projeto.

Por todos estes motivos e para permitir que Itaguaí continue a ter em Brasília uma representação de qualidade e voltada para os interesses da cidade, nós pedimos o seu voto para o deputado federal Simão Sessim – 1125 e solicitamos a sua ajuda com o trabalho de conquista de novos eleitores.

Bispo Ronaldo

Pastora Márcia.

Boa notícia.

Berenice Seara comunica a criação de mais uma escola técnica e de uma faculdade.

Prefeitos da Região dos Lagos.

Logo cedo, numa conversa por telefone com o deputado Simão Sessim, ele nos sugeriu a leitura de uma nota publicada na Coluna “Extra, Extra”, da jornalista Berenice Seara, do jornal Extra.

“Gostei da notícia”, disse o deputado, “porque ela demonstra que cresce o número de escolas técnicas no estado, a partir da percepção dos agentes públicos da importância que tem para os jovens, principalmente, para os jovens mais pobres, a profissionalização mais cedo e eficiente”, ele salientou.

O deputado lembrou que, em março de 2009, os prefeitos da Região dos Lagos aproveitaram a inauguração do IFF – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (antigo CEFET Campos), para  reafirmarem a prioridade que têm dado à instalação de escolas técnicas.

“Em Nilópolis, o modelo é um sucesso. Fico orgulhoso, porque com o meu trabalho, permiti a criação da escola e a transformação dela em Instituto Federal de Educação. Hoje, o Instituto de Nilópolis está entre os melhores do Brasil”, reafirmou o deputado.

Palmas para Búzios e para o Prefeito Mirinho Braga.

Nota da Berenice:

“Niemeyer em Búzios: Búzios vai ganhar um complexo com escola técnica, faculdade de oceanografia e aquário com espécies da fauna marinha local. O complexo ficará perto do aeroporto e o projeto será do escritório Niemeyer de arquitetura, sob orientação do próprio Oscar Niemeyer”.