Eleito Deputado Federal 10 vezes seguidas!

Quarenta anos de vida pública dedicada ao serviço público pela cidade de Nilópolis,
pelo Estado do Rio de Janeiro e pelo Brasil!

Discurso do dia 17/03/11

17/03/2011

O SR. SIMÃO SESSIM (PP-RJ. Pronuncia o seguinte discurso.) – Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, permitam-me manifestar desta tribuna a minha enorme satisfação diante do quadro de prosperidade que tão bem ilustra, no momento, a ascensão da economia fluminense.

Só para ilustramos melhor esta situação, Senhor Presidente, o bom momento dos negócios gerados no Rio de Janeiro, na carona, é evidente, da exploração do petróleo e da produção de aço, sobretudo na região de Itaguaí, está fomentando a produção a ponto de ter colocado a Baixada Fluminense como a segunda maior geradora de empregos do estado.

Dados Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, a FIRJAN, mostram, por exemplo, que o mercado de trabalho no Estado do Rio, senhor presidente, acompanhou o ritmo nacional e fechou 2010 com recorde de criação de empregos na série histórica.

Foram 190 mil novos postos com carteira assinada, um saldo de 23,3% maior do que o registrado em 2008, o recorde anterior. Ainda de acordo com a FIRJAN, o saldo de contratações na Baixada Fluminense foi o segundo maior dentre as regiões do Estado, registrando 28.478 novos postos de trabalho formal.

Dados mais recentes, divulgados ainda ontem pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho e Emprego, revelaram também que o Rio de Janeiro atingiu, agora, em fevereiro, outro recorde histórico na criação de empregos com carteira assinada. Foram mais 19.921 empregos formais, um crescimento fantástico de aproximadamente 140% em relação ao ano anterior, cujo resultado foi de 8.298 novas vagas.

Ontem, Senhor Presidente, o ministro Aloizio Mercadante, da Ciência e Tecnologia, nos deu uma excelente notícia: ele anunciou aos jornalistas que cobriam a segunda reunião do Forum de Desenvolvimento Econômico, aqui em Brasília, que o Governo quer priorizar a elaboração do Programa Nacional do Ensino Técnico o PRONATEC).

A medida, Senhor Presidente, tem como objetivo enfrentar o seríssimo problema da carência de mão de obra por que passa o país em diferentes setores. Até porque, no momento, o que mais preocupa o governo da presidente Dilma Rousseff, é exatamente como enfrentar o desafio da falta de qualificação profissional num momento em que o mercado de trabalho se mostra bastante aquecido.

Sabemos que em alguns setores já há problemas de oferta de mão de obra, principalmente para mão de obra especializada, razão pela qual o Governo, através do Ministério da Educação, vem discutindo um amplo programa de formação no ensino profissionalizante.
Trata-se, portanto, Senhor Presidente, de uma louvável iniciativa, da qual somos os maiores incentivadores.

Era o que tínhamos para comentar no momento, Senhor Presidente.

Muito obrigada!

Discurso do dia 15/03/11

O SR. SIMÃO SESSIM (PP-RJ. Pronuncia o seguinte discurso.) Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, eu não poderia deixar de vir a esta tribuna para manifestar do fundo do meu coração a imensa felicidade que ainda me contagia por conta de mais uma esplendorosa e incontestável vitória da minha querida e amada escola de samba Beija-flor, este ano, na passarela da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro.

Mais uma vez, venceram a determinação e a garra de uma escola de samba que se aliou à simplicidade do Rei da Música Popular Brasileiro, o cantor Roberto Carlos, para levar emoções à passarela.

Eu havia dito desta mesma tribuna, senhor presidente, uma semana antes do Carnaval, que havia chegado a hora de o povo botar para fora a felicidade, que não seria pouca, com certeza. E, foi de fato o que aconteceu na avenida. A Beija-Flor presenteou a Marquês de Sapucaí com o quesito exclusivo: a emoção de um Rei descontraído e perto do povo.

Aliás, senhor presidente e nobres deputados, como bem frisou o jornal O Globo, deste domingo, a Beija-Flor se transformou em uma fábrica de títulos. A vitória com diferença de 1,4 pontos sobre a Unidos da Tijuca, a vice-campeã do Carnaval, ajudou a consolidar uma hegemonia, diz a reportagem.

É verdade. Desde que fora alçada à elite do Carnaval carioca, em 1976, com o enredo antológico Sonhar com rei dá leão, a agremiação de Nilópolis conquistou 12 campeonatos e já é a terceira escola com maior número de títulos, só perdendo para a Portela e Mangueira, obviamente, por se tratarem de agremiações bem mais antigas nas passarelas do Rio de Janeiro.

São 11 vice-campeonatos, levando-se ainda em consideração o fato de que nos últimos 35 anos, a Beija-Flor esteve 29 vezes entre as três primeiras colocadas nos desfiles do Rio de Janeiro. Isto é magnífico.

Na mesma reportagem de O Globo, o jornal lembra o que já estamos cansados de frisar nesta mesma tribuna: que a Beija-Flor é uma escola que se fortaleceu investindo, e muito, em sua própria comunidade, que canta e dança harmonicamente, e que vibra, ganhando, por consequência, respeito do corpo de jurados e da opinião pública mundial.

E, por uma questão de justiça, não podemos deixar de destacar o grande comandante dessa e de todas as conquistas da campeoníssima Beija-Flor, o patrono da escola, Aniz Abraão David, que, como bem disse o Laíla, torna-se peça fundamental para a agremiação, por sua luta, pelo tratamento, pela dignidade com que conduz as coisas da escola. Ele orienta, se empenha, ao máximo; vibra e vence.

Por fim, estendo ainda a minha alegria e felicitações, à direção da escola, através de seu presidente Farid Abraão David: à Comissão de Carnaval nas pessoas do Laíla, Alexandre Louzada, Fran-Sérgio, Victor Santos e Ubiratan Silva; ao intérprete, Neguinho da Beija-Flor; aos mestres de bateria, Plínio e Rodney; à Raínha da Bateria, Raíssa Oliveira; ao mestre-sala, Claudinho, e à porta-bandeira, Selmynha Sorriso; ao estreante, na Comissão, Carlinhos de Jesus; aos componentes e a todos que aqueles que acreditaram mais uma vez no projeto da Beija-Flor, que se transformou em uma verdadeira escola de vida, amparando os menos favorecidos e preparando os jovens da comunidade para um futuro promissor.

Era o que eu tinha a dizer no momento, senhor presidente.

Fator Previdenciário

LOCUTOR: Simão Sessim, do PP do Rio de Janeiro, elogiou decisão da primeira Vara Federal Previdenciária de São Paulo, que considerou o fator previdenciário inconstitucional.

SIMÃO SESSIM: Foi uma decisão muito acertada e que deve servir de jurisprudência para combatermos esse famigerado fator previdenciário que só serve para corroer as aposentadorias dos trabalhadores brasileiros.

LOCUTOR: O deputado lembrou que o fator previdenciário, além de ser complexo e de difícil compreensão para o segurado, é inconstitucional.

SIMÃO SESSIM: Como bem frisou o juiz Marcus Orione, o fator previdenciário introduz elementos de cálculos que influi no próprio direito do beneficio, ele entende por exemplo, que o requisito para obtenção do beneficio que continuaria a ser apenas o tempo de contribuição é diferente do calculo do seu valor inicial em que não se poderia levar em conta fatores como a expectativa de vida.

LOCUTOR: Simão Sessim considerou a decisão do juiz acertada uma vez que, segundo ele, ninguém deve continuar sendo penalizado no seu direito legítimo, garantido pela Constituição.

Terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Ouça na Rádio:
http://www.camara.gov.br/internet/radiocamara/?lnk=SIMAO-SESSIM&selecao=MAT&materia=115667&programa=217

Ministro da Saúde Alexandre Padilha

O SR. SIMÃO SESSIM (PP-RJ. Pronuncia o seguinte discurso.) – Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, minha presença na tribuna desta Casa é para fazer um rápido registro sobre o trabalho extraordinário que S. Exa., o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, vem implementando neste início de governo.

Já é possível observarmos o cumprimento de metas, principalmente a de trabalhar na promoção da saúde e na prevenção de doenças, itens que, como bem frisou S.Exa., o Ministro, compõem os pontos desenhados para a Saúde determinados pela Presidente Dilma Rousseff.

Na semana passada, tive a grata oportunidade de acompanhar S. Exa., o Ministro Padilha, em alguns compromissos de trabalho no Rio de Janeiro, um deles na quadra de ensaios da Escola de Samba Salgueiro, onde S.Exa. lançou a campanha de prevenção à AIDS do Carnaval 2011, a qual tem como foco principal as meninas com idade entre 15 e 24 anos.

Na ocasião, S.Exa., o Ministro Padilha, ratificou o propósito do Governo Federal de combater com firmeza e eficácia a preocupante questão da dengue, que afeta sobremaneira 16 Estados brasileiros, entre eles o próprio Rio de Janeiro, considerados de alto risco epidêmico da doença, e que por sua complexidade ainda constitui um dos principais desafios da saúde pública no Brasil.

Até porque, Sr. Presidente, com cerca de 80% da população vivendo em áreas de clima tropical, intenso crescimento populacional nos centros urbanos, ocupação desordenada do solo e a persistência de certos problemas de infraestrutura, com abastecimento irregular de água, ainda temos, como bem lembrou o Ministro, infelizmente, um cenário favorável à reprodução do mosquito Aedes aegypti.

De qualquer forma, Sr. Presidente, eu, particularmente, como também, acredito, todos nesta Casa, estamos torcendo para que S.Exa., o Ministro Alexandre Padilha, saia vencedor desta guerra que o País vem travando há mais de 20 anos.

Era o que eu tinha a dizer no momento, Sr. Presidente.

Muito obrigado.

Acesse o vídeo do pronunciamento do Dep. Simão Sessim
na Câmara dos Deputados no dia 01/03/2011.

Beija-Flor de Nilópolis

DEPUTADO SIMÃO SESSIM – PP/RJ

D02032011

O SR. SIMÃO SESSIM (PP-RJ. Pronuncia o seguinte discurso.) – Senhor presidente, senhoras e senhores deputados, mais uma vez o povo brasileiro se prepara para festejar o Carnaval, que este ano acontece agora no mês de março.

Consequentemente, passamos a viver nos dias que antecedem ao maior espetáculo da Terra, sem dúvida alguma, os desfiles das escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, a grande expectativa de ver essa manifestação popular mexendo, e forte, a exemplo do que sempre faz, com a nossa sensibilidade e as nossas grandes emoções.

Todos os anos é sempre assim: vamos para a Marquês de Sapucaí nos encantamos com o vôo esplendoroso, ágil e sempre irrequieto, nas asas da nossa querida e amada Beija-Flor.

Como diz o samba enredo dos compositores Samir Trindade, Serginho Aguiar, JR Beija Flor, Sidney de Pilares, Jorginho Moreira e Théo M. Neto chegou a hora de botar para fora a felicidade, que não será pouca, com certeza.

E haja felicidade, senhor presidente. Até porque, a passarela do Sambódromo vai ficar pequena para a passagem de tantas estrelas. E este ano, a nossa Beija-Flor desfila como gosta – solta, descontraída, em busca da conquista de seu 12º título dos desfiles das grandes escolas do Carnaval do Rio de Janeiro, aprestando uma justa e merecida homenagem ao “rei” Roberto Carlos, “na plenitude de sua simplicidade”.

É verdade, senhor presidente o “rei” Roberto Carlos merece bem mais que uma simples homenagem, ele merece ser feliz por tudo de bom que já nos proporcionou ao longo de seus 50 anos de vida artística, distribuindo emoções e mostrando com muito amor os detalhes da vida de milhões de brasileiros.

Por isso mesmo, a azul e branco de Nilópolis, da Baixada Fluminense, tem tudo para justificar na passarela o porquê de sua grandeza e exuberância, que tanto nos encanta ao longo da tantas décadas.

Não resta dúvida, que o glamour desta memorável agremiação vai ecoar mais uma vez do grito de uma nação azul e branca, que aposta no desempenho, na garra e na disposição de seus componentes, que certamente, mais uma vez deixarão a passarela consagrada pelo povo.

Mas a Beija-Flor não é só festa, senhor presidente e nobres deputados. Ela é também a esperança de um mundo melhor, traduzida nas ações sociais que promove durante o ano inteiro, não só para seus componentes, mas para toda a comunidade no seu entorno. A família Abraão David, que mantém creche, educandário, centros profissionalizantes, entre tantos outros tipos de benefícios, ajuda centenas de famílias, crianças e adolescentes, a construir um enredo de vida com justiça social.

Aproveito a oportunidade para saudar desta tribuna, as figuras ilustres que serão responsáveis diretos pelo brilhantismo do desfile da Beija-Flor, na pessoa de seu presidente de honra, Aniz Abraão Davi; de seu presidente administrativo, Farid Abrão, e demais membros da diretoria da escola.

Não podemos esquecer de homenagear também o talento dos profissionais que todos os anos nos proporcionam tantas alegrias, como o nosso querido coordenador de Carnaval, Laíla, os carnavalescos Alexandre Louzada, Fran-Sérgio, Victor Santos e Ubiratan Silva.

Estendemos ainda os cumprimentos a Neguinho da Beija-Flor, ao mestre-sala Claudinho e à porta-bandeira Selmynha Sorriso; aos mestre de bateria Plínio e Rodney, os funcionários do barracão, ao chefes de ala, aos destaques e demais componentes, todos bastante engajados no propósito de conquistar mais uma vitória para a cidade de Nilópolis, para o povo da Baixada Fluminense.

Por fim, senhor presidente e nobres deputados, resta-nos dizer, que é nessa estrada de santos guerreiros, com as bênçãos de todas as Nossas Senhoras, que a nossa querida Beija-Flor vai mostrar ao ritmo alucinante das batidas dos nossos corações, como é grande o seu amor pela vida de todos nós.

Muito obrigado, e até a vitória!

Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu

O SR. SIMÃO SESSIM (PP-RJ. Pronuncia o seguinte discurso.) – Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, no próximo dia 26, a Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu iniciará as atividades deste ano, oportunidade ideal para registrar nos Anais da Casa, o trabalho de apoio à cultura e à formação profissional que aquela organização realiza desde 2006 na Baixada Fluminense.

A Escola, que já formou três mil alunos, hoje no mercado de trabalho como fotógrafos, diretores, roteiristas e produtores, está localizada no Bairro de Miguel Couto, em Nova Iguaçu e é dirigida por Cristiane Braz.

O projeto nasceu do Programa Bairro Escola da Prefeitura de Nova Iguaçu e em 2009, em razão da competência de seus quadros, passou a ser um Ponto de Cultura, com autorização para receber apoio financeiro e institucional do Ministério da Cultura. No mesmo ano, a Escola recebeu, do Ministério da Cultura, o prêmio Rio Sociocultural- na categoria Destaque Ponto de Cultura.

A Petrobras está presente no Projeto desde 2007, por meio do Programa Petrobrás Cultural, incentivando a formação profissional de agentes de cultura e, recentemente, ingressou com novos recursos com base na Lei Estadual de Incentivo à Cultura.
Outro fato interessante importantíssimo é a decisão da Escola de investir na capacitação de professores da rede publica municipal, para abrir novas portas de oportunidades para os alunos da rede pública.

Também fruto do trabalho da Escola Livre de Cinema é o Festival de Cinema da Cidade de Nova Iguaçu, o IGUACINE, evento de presença obrigatória no calendário cultural do Estado do Rio de Janeiro. O Festival de 2010 trouxe, na Mostra Competitiva da Baixada, os filmes O Mendigo, de Mário Bonnin; O que vai ser, de Getúlio Ribeiro; Paula, de Leonardo Nunes; Parô, de Leandro Souza e Queimado, de Igor Barradas.
Meus cumprimentos, portanto, a essa turma, que realiza e que com o seu trabalho dignifica a população da Baixada Fluminense.

Era o que eu tinha a dizer neste momento, senhor presidente.
Muito obrigado!