Eleito Deputado Federal 10 vezes seguidas!

Quarenta anos de vida pública dedicada ao serviço público pela cidade de Nilópolis,
pelo Estado do Rio de Janeiro e pelo Brasil!

Simão Sessim ressalta trabalho do neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho

O trabalho do responsável pelo comando do Instituto Estadual do Cérebro, o neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho, foi o destaque do pronunciamento do deputado Simão Sessim (PP-RJ), nesta terça-feira (10). “Muitas vezes não valorizamos as pessoas que nos rodeiam e que merecem atenção, respeito, orgulho e reconhecimento por tudo que representam e proporcionam ou proporcionaram em nossas vidas”.

O Instituto Estadual do Cérebro do Rio de Janeiro foi criado há dois anos, para o tratamento neurocirúrgico de doenças do sistema nervoso central, como: AVC, aneurismas, epilepsia, tumores, enfermidades vasculares e Parkinson.

Simão Sessim lembrou que o Instituto foi idealizado e inaugurado no governo Sérgio Cabral e se transformou em grande esperança para muitas pessoas. “É um hospital dos sonhos de todos nós, por ser também a grande esperança de atendimento, com dignidade, sobretudo de pacientes do SUS, seu maior beneficiário, por estar dotada da melhor estrutura existente hoje no mundo”, disse.

O deputado relatou que no Instituto Estadual do Cérebro, se concentra um grupo de neurocirurgiões com equipamentos dos mais sofisticados para fazer cirurgias eletivas de alta complexidade na área neurológica, preenchendo uma importante lacuna há muito reivindicada na rede pública de saúde.

thumb-simao-sessim-ressalta-trabalho-do-neurocirurgiao-paulo-niemeyer-filhoQualquer cidadão que tiver diagnóstico com inclinação neurocirúrgico pode ser encaminhado para o Instituto Estadual do Cérebro, independente do estado ou de sua cidadania. E vai encontrar, ali, Centros Cirúrgicos de última geração, salas inteligentes, totalmente informatizadas, e uma equipe de profissionais produzindo trabalhos científicos que a torna referência no estado e no País”, destacou o parlamentar.

O Instituto dispõe de quatro Centros Cirúrgicos, nove consultórios, 40 leitos de UTI adulta e quatro de UTI pediátrica, dois para pacientes com epilepsia, além de um quadro de 191 médicos, todos orientados e dirigidos pelo neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho.

O Instituto realizou até o mês de agosto 2.388 cirurgias e 20.173 atendimentos ambulatoriais, além de 42.458 exames de ressonância magnética, tomografias computadorizadas, hemodinâmica, de raio X, ecocardiograma e eletroencefalograma.

“Somente pessoas generosas imbuídas do propósito de servir ao próximo, dotada do espírito público e solidárias com seu semelhante, a exemplo do médico Paulo Niemeyer Filho, são capazes de realizar obras maravilhosas voltadas para atender e amenizar o sofrimento de quem padece, muitas vezes por falta de uma mão benevolente”, finalizou Simão Sessim.

Simão Sessim elogia projeto de Lei que garante a distribuição de sobras de alimentos de feiras e mercados livres

O deputado federal Simão Sessim (PP-RJ), destacou em seu pronunciamento na Câmara dos Deputados, a importância do projeto de Lei que garante a distribuição de sobras de alimentos de Feiras e Mercados livres. Sessim fez questão, ainda, de deixar registrado um elogio à iniciativa dos deputados fluminenses, pois a proposta foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

Dados de 2011, da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura apresentados pelo deputado, apontam que cerca de 1,3 bilhão de toneladas de comida, o equivalente a um terço da produção mundial de alimentos, são perdidas ou desperdiçadas anualmente, representando com isso “uma contínua e injustificável sangria nos recursos vitais do planeta e na economia das nações”.

Este cenário de desperdício de alimentos de acordo com o deputado é, sem dúvida alguma, um enorme obstáculo à resolução do problema da fome que ainda aflige mais de 800 milhões de pessoas em todo o mundo.

Somente o Brasil tem 3,4 milhões de pessoas – algo em torno de 1,7% da população -, que estão em situação de insegurança alimentar.

No Estado do Rio de Janeiro, mais de 500 mil pessoas vivem abaixo da linha da extrema pobreza, conforme dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o IPEA.

“Cerca de 287 mil toneladas de hortifrutigranjeiros são jogados fora pelos centros de abastecimento, devido a problemas – como tamanho, deformação etc -, que não reduzem o teor nutritivo dos produtos, resultando num desperdício total de cerca de 670 mil toneladas atiradas no lixo, todos os anos”, reclamou o parlamentar.

Trem da Terra alavanca o Turismo e desenvolvimento econômico do RJ e MG

O deputado federal Simão Sessim (PP-RJ), foi à tribuna das Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (3), para destacar a importância da iniciativa da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Amigos do Trem. A Organização que envolve representantes políticos, empresários, voluntários e autoridades de diversos setores do Rio de Janeiro e Minas Gerais decidiram criar o primeiro trem turístico interestadual do Brasil, já batizado de Expresso Trem da Terra.

 

“O excepcional projeto, além de interligar cidades fluminenses e mineiras, vai contribuir também para alavancar o turismo e o desenvolvimento econômico e social da região”, disse Simão Sessim.

O Expresso Trem da Terra, previsto para entrar em funcionamento no primeiro semestre do ano que vem, vai circular entre as cidades de Sarapucaia e Três Rios, no Centro Sul Fluminense; e Cataguases, Recreio, Leopoldina, Chiador, Além Paraíba e Volta Grande, em Minas Gerais.

“O projeto, pode ser o grande embrião da retomada do transporte ferroviário interestadual de passageiros, que teve o seu auge na década de 50, quando chegou a transportar mais de 100 milhões de pessoas por ano”, lembrou o deputado.

Simão Sessim informou que das três únicas linhas ferroviárias interestadual, funcionando atualmente no País, duas só existem por obrigação contratual por parte da Companhia Vale do Rio Doce.

As linhas em funcionamento ligam Vitória a Belo Horizonte; a que vai de São Luiz, no Maranhão, a Carajás, na Paraíba e a Serra Verde, que faz o trecho entre Curitiba e Paranaguá, no Paraná, mas apenas com fins turístico, transportando cerca de 130 mil passageiros/ano, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres.

O Expresso da Terra vai usar uma composição de duas locomotivas, com quatro vagões, um deles do famoso Trem de Prata, que funcionou na linha Rio-São Paulo, além de dois carros-restaurantes, num trecho de 187 quilômetros de malha ferroviária, transportando até 240 passageiros.

O parlamentar destacou, ainda, que o projeto deverá gerar cerca de 500 empregos diretos e indiretos e proporcionar horas de muito lazer e conhecimento. “Os turistas poderão curtir, por um período de cinco horas de passeio, lindas paisagens, belas cachoeiras, fazendas, casarios históricos, hidrelétricas, Lagos e a tranquilidade característica das regiões Centro Sul fluminense e da Zona da Mata mineira”.

Esclarecimento

A colunista Berenice Seara, no jornal Extra, divulgou, na terça-feira, a seguinte nota a meu respeito:

“De acordo com as notas apresentadas à Câmara, Simão Sessim (PP) é o deputado federal do Rio com mais apetite. Só nos primeiros oito meses do ano, o moço gastou com comida nada menos que R$ 15.949 da “cota para exercício da atividade parlamentar” — verba que os parlamentares recebem, além dos salários, para gastos do gabinete.

E o moço, eleito com os votos da Baixada, é fã dos restaurantes da Barra. A maioria das notinhas é de estabelecimentos do bairro da Zona Oeste do Rio.

Detalhe: Sessim almoça na Barra até em dias e horários em que, em tese, deveria estar no plenário da Câmara, em Brasília”.

A colunista usa dados que estão à disposição de todos no site da Câmara, mas encaminha a notícia com o intuito claro de denegrir a minha imagem. Por isso, ela divulga um valor somado da verba indenizatória, para, apesar de dizer que se refere a oito meses, passar a impressão de abuso.

O uso da verba não é uma ilegalidade. Ela está prevista e autorizada por Ato da Mesa da Câmara dos Deputados e como destinação específica, como o nome diz, indenizar o parlamentar pelos gastos que ele faz em razão do exercício do mandato.

Um exercício de aritmética mostra que, considerados meses de 25 dias, cada refeição minha paga pela Câmara saiu, em média, por R$ 39,87, valor menor do que o vale-refeição pago aos funcionários da instituição.

O fato da maioria das despesas ser efetuada na Barra da Tijuca tem dois motivos, que não escondi dos meus eleitores:

  1. resido no Bairro;
  2. tenho me ausentado de Brasília nos últimos meses, para aplicações que faço num Hospital da Barra para curar um câncer, que apareceu nos exames que fiz no início do ano.

E, quanto, a referencia irônica e desrespeitosa que recebi na nota ao ser dito “E o moço…” lembro à repórter que estou com 80 anos de idade e cumpro o 10o mandato consecutivo de deputado federal, porque os eleitores conhecem muito bem a minha vida e o meu proceder.

Uma boa notícia para a população da Baixada!

Ontem, a imprensa divulgou o início das obras do Complexo Guandu “2”. Bela notícia, porque traz com ela a informação de ser ampliado o fornecimento de água para a Baixada Fluminense. O primeiro conjunto de obras interligará os reservatórios de Nilópolis do de Éden e à elevatória de São Mateus em Meriti.

O projeto começou a sair do papel no ano passado, no dia da inauguração do Arco Metropolitano, outra conquista importante para a qualidade de vida dos moradores da Baixada Fluminense. Era julho. O Governador Pezão e a Presidente da República assinaram com a Caixa Econômica Federal, um empréstimo para a CEDAE de R$ 3,4 bilhões. Eu estava presente.

Mais de 9 milhões de pessoas terão acesso à água da CEDAE, situação que representará melhora significativa da qualidade da vida delas.

Feliz Aniversário, Nilópolis!

Hoje, 21 de agosto, a minha cidade, Nilópolis, completa 68 anos. Vejo-a grande, magnífica. Vejo-a como a cidade de um povo altamente digno. Um povo exemplar. Sinto-me feliz e muito agradecido a Deus pelas inúmeras chances que Ele me tem dado de poder contribuir com o desenvolvimento da cidade. Por ela tenho trabalhado mais de 40 anos, numa relação de amor permanente e correspondido.

Mas, reconheço que Nilópolis e o povo que comigo tem construído a história dela, nada me devem. Ao contrário, todos os moradores da cidade são credores dos meus agradecimentos. Afinal, pela confiança desse magnífico povo, ocupei a prefeitura da cidade e, depois, fui eleito 10 vezes consecutivas deputado federal, para representa-lo na Câmara dos Deputados em Brasília.

Parabéns Nilópolis! Muito obrigado!

Brasil, melhor do mundo!

O Brasil alcançou o primeiro lugar da maior competição de educação profissional do mundo, o Wordskills. Os jovens brasileiros conquistaram 27 medalhas, 11 de ouro, 10 de prata e 6 de bronze.

O evento de educação e habilidades, excelência profissional no mundo ocorre a cada dois anos e este ano, pela primeira vez, aconteceu na América Latina, em São Paulo. Sessenta e dois países participaram com 1.189 competidores. A Coréia do Sul, tida como um dos melhores países do mundo no quesito educação, ficou em segundo lugar e a França em terceiro.

A notícia mexeu comigo, porque tenho sido, desde os meus tempos de professor na Baixada Fluminense e nestes mais de quarenta anos de vida pública, defensor do ensino profissional, que, como afirmou o Presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Braga, na entrega dos prêmios no Wordskills, “o começo de uma carreira profissional bem sucedida”.

A minha primeira vitória na defesa do ensino profissional aconteceu com a instalação de uma escola em Nilópolis, hoje universidade. Desde aquele momento sublime, não perdi nenhuma oportunidade, que os mandatos de deputado federal me ofereceram para defender a instalação de mais escolas.

O ponto que mais me entusiasma na notícia é verificar que, a despeito das ainda persistentes dificuldades para formação nas escolas profissionais, os jovens brasileiros não temem os desafios que lhes são colocados, vencem as dificuldades que, por vezes, tornam a competição desfavorável ao Brasil e chegam no Wordskills como os melhores do mundo.

Parabéns, a todos os premiados. Parabéns ao Brasil pela atenção que tem dado ao ensino profissional.

Simão Sessim cobra execução da segunda fase do Projeto Iguaçu

O deputado Simão Sessim (PP-RJ), usou a tribuna da Câmara dos Deputados, nesta terça (7), para cobrar do Instituto Estadual do Ambiente – INEA, que acelere o mais rápido possível a elaboração dos projetos executivos necessários à execução da segunda fase do Projeto Iguaçu.

O deputado explicou que o projeto, iniciado em junho de 2007, para fazer o controle de inundações e a recuperação ambiental das bacias dos rios Iguaçu, Botas e Sarapuí, na Baixada Fluminense, está paralisado desde setembro de 2014, por determinação do Tribunal de Contas da União, que apontou indícios de irregularidades graves nas obras.

O parlamentar reclamou que nenhum recurso do Governo Federal pode ser liberado para as intervenções do Projeto Iguaçu, pelo menos até a adequação dos pontos considerados críticos pelo TCU.

A notícia caiu como um balde de água fria para todos nós, inclusive para os moradores da região. Até porque, a continuidade do Projeto Iguaçu, está incluída no PAC do Governo Federal, e é muito importante para evitar que a população de cidades como Duque de Caxias, São João de Meriti, Belford Roxo, Mesquita, Nova Iguaçu e Nilópolis sofram com problemas constantes de enchentes e inundações que se verificam todos os anos na região, por ocasião das chuvas de Verão”, ressaltou o deputado.

O Projeto Iguaçu já consumiu R$ 450 milhões em sua primeira fase, foi criado para fazer a limpeza e desobstrução de rios, recuperação de áreas marginais, plantio de vegetação ciliar, reflorestamento de áreas de nascentes, preservação de áreas para amortecimento de cheias, desobstrução e substituição de pontes e travessias, recolocação de moradias e outras medidas complementares, como o disciplinamento do uso do solo e coleta de lixo.

Regulamentação que beneficia autogestões em saúde é sancionada

Foi publicada no Diário Oficial da União, nesta quarta-feira, (27), a Lei nº 13.127/2015, que altera o art. 34 da Lei nº 9.656/98 e desobriga as operadoras de autogestão constituídas sob a forma de fundação, de sindicato ou de associação a constituir CNPJ independente para operar plano de saúde.

O projeto original é de autoria do deputado federal Simão Sessim (PP-RJ). O dispositivo beneficia mais de 5 milhões de usuários em todo país, em sua grande maioria servidores públicos e aposentados, que passarão a ter assegurados em definitivo, os benefícios não só da assistência em saúde, mas também de outros serviços de alcance social, como auxílio funeral e assistência jurídica e social.

As entidades beneficiadas são aquelas de autogestão como a CASSI, GEAP, BACEN, CONAB, APPAI, EMBRATEL, FACHESF, ITAIPU, PETROBRAS, entre outras. Elas não precisam mais constituir uma nova pessoa jurídica para se adequar as normas da Agência Nacional de Saúde – ANS.

A aprovação do projeto resguarda o sistema público de saúde da avalanche de filiados (alguns milhões de cidadãos) que, sem a adequação pretendida, acabariam tendo que se socorrer do SUS na hipótese de dissolução das suas entidades. Evita ainda outros tantos movimentos no sentido de sobrecarregar o Poder Judiciário das ações que pretenderiam restabelecer os direitos constitucionais dos usuários”, disse Simão Sessim.

O presidente da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais, Roberto Kupski, comemorou a sanção da Lei. “Agora, as administradoras dos planos de saúde do fisco estadual terão mais tranquilidade para continuarem o trabalho desenvolvido a anos”, disse Kupski. Ele destacou, ainda, a atuação de alguns parlamentares, especialmente do deputado Simão Sessim, autor do projeto.

Políticas públicas são ameaçadas pela extinção da FUNDREM

A Fundação para o Desenvolvimento da Região Metropolitana – FUNDREM foi um órgão que compreendia a região metropolitana do Rio de Janeiro como um sistema integrado de problemas e soluções. Criada pelo Governador Faria Lima, o órgão era responsável pelo desenvolvimento da região metropolitana com projetos próprios de investimentos.

O deputado Simão Sessim (PP-RJ), usou a tribuna da Câmara dos Deputados para criticar o fim da Fundação e denunciar que alguns municípios da região estão isolados. “A extinção do órgão fez com que se perdesse, um instrumento fundamental do planejamento das políticas públicas. Com isso, a maior parte das cidades da região, principalmente, as com os menores orçamentos, enfrenta, até os dias de hoje, seus problemas de forma isolada, negociando, quando necessário, isoladamente com os governos estadual e federal”, disse Simão Sessim.

O parlamentar denunciou o atraso de muitos anos e o fracasso de várias políticas públicas que poderiam ter oferecido à população da região metropolitana do Rio de Janeiro mais qualidade de vida. Simão Sessim lembrou que o Governador Luiz Fernando Pezão, em agosto do ano passado, criou a Câmara Metropolitana de Integração Governamental e o Grupo Executivo de Gestão Metropolitana, que tem objetivos parecidos com o da antiga FUNDREM, como: organizar as políticas públicas e definir os investimentos para uma região que enfrenta problemas comuns, que quando considerados isoladamente terminam por sacrificar uns em benefícios de outros.

Vejam o caso da Saúde, que é o melhor exemplo. Por falta de um atendimento integrado, alguns municípios jogam sobre os outros um peso estupendo, com sangria nos seus orçamentos”, argumentou Sessim.

A Câmara Metropolitana do Rio de Janeiro durante todo este mês realiza o seminário “O Rio Metropolitano: Desafios Compartilhados”, que conta com o apoio do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (IETS) e da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN)

Com painéis próprios para tratar do saneamento básico, políticas de mobilidade urbana, saúde e segurança pública, o seminário reúne os prefeitos dos municípios da região metropolitana e profissionais de alto gabarito e reconhecida competência em cada um dos temas.

O ciclo de debates intitulado “O Rio Metropolitano: Desafios Compartilhados”, que irá até o dia 1º de junho, está acontecendo em várias cidades, como Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Niterói e São Gonçalo.