Tereza Raquel, uma estrela de primeira grandeza no céu de Nilópolis

Todas as vezes que eu vi em cena a estrela Tereza Rachel, comentei, com orgulho: “Ela é filha de Nilópolis“, minha cidade. Nilópolis teve a honra de conhecer, antes do resto do mundo, o talento da estrela. Aos 10 anos ela já declamava.

Senti orgulho da minha terra, por exemplo, quando vi o desempenho da Tereza Raquel na novela “Que rei sou eu?“, no papel da rainha Valentine. Durante muito tempo, a risada da rainha e o sotaque francês arranhando o português me fizeram rir, sem perder a mensagem que cada texto dela transmitia para um um país onde a democracia recém nascia.

A nilopolitana Tereza Raquel foi o centro daquela novela que teve, talvez, o mais rico elenco de todas as novelas brasileiras: Antônio Abujamra, Stênio Garcia, Aracy Balabanian, Jorge Dória, Dercy Gonçalves e outras feras. Mas, entre eles, brilhou com intensidade inigualável, a estrela nilopolitana, Tereza Raquel.

Outro grande papel da Tereza Raquel que está ainda presente na minha memória é ela como Princesa Isabel, na minissérie Abolição, da TV Globo. A minha cidade, a cidade de Tereza Raquel deve muito da sua história e do seu progresso aos negros. Por isso, a representação perfeita, emocionada, grandiosa, da Tereza Raquel no momento da assinatura da Lei Áurea, mexeu bastante comigo, um antigo professor das escolas na Baixada Fluminense.

No palco, na TV e no cinema, Tereza Raquel fez a diferença pelo talento, virtude, sabedoria e beleza. Na vida e história do teatro brasileiro, ela deixou uma prova concreta do seu amor pela arte, o Teatro Tereza Raquel, semente que ela plantou, regou, cuidou nos momentos difíceis e viu transformada numa árvore frondosa, que até hoje dá bons frutos.

Lamento a morte da Tereza Raquel, em meu nome e em nome da minha Nilópolis, cidade que eu com muita honra represento aqui nesta Casa há 40 anos. O melhor significado da vida da estrela Tereza Raquel encontrei nas palavras da crítica de teatro Maria Teresa Amaral: “Tereza Raquel é um fenômeno!

Obrigado.

Comentário

Leave a comment

%d blogueiros gostam disto: