Notas

Simão Sessim ressalta notas da Baixada no Ranking do Portal da Transparência

O deputado federal Simão Sessim (PP/RJ) registrou, na tribuna da Câmara dos Deputados, o bom desempenho de parte dos municípios da Baixada Fluminense, a exemplo de Nova Iguaçu e Duque de Caxias, cujas prefeituras conquistaram nota 10 no Ranking Nacional do Portal da Transparência. “A honrosa posição de cidades mais transparentes do País, entre os 5.568 municípios brasileiros avaliados pelo Ministério Público Federal, concentra-se, na clareza das contas públicas como instrumento para fortalecer a participação social no controle das receitas e despesas administradas pelo poder público”, disse Simão Sessim.

Queimados, com nota 8,5 e Belford Roxo, com 8,30, também alcançaram boas notas.

Para Simão Sessim, não há como ver uma participação efetiva da sociedade brasileira na gestão pública sem se falar na questão da transparência. “Não se pode falar em transparência se o município não tem um portal adequado, aderente à lei ou se a prefeitura não regulamenta a Lei de Acesso à Informação e não disponibiliza um serviço ao cidadão, efetivamente onde se possa pedir informação e obter respostas”.

O deputado falou também que o Portal da Transparência dos governos federal, estadual e municipal tem que prestar contas do que é feito com o dinheiro público, e é obrigação do prefeito disponibilizar informações para qualquer cidadão, sobre quanto arrecadam e como gastam o dinheiro suado do contribuinte.

Simão Sessim lamentou que a cidade de Nilópolis não apareça na lista das cidades que mais se destacam no país pelo Portal da Transparência. “Infelizmente, ela se situa na septuagésima primeira posição, com 2,4 pontos, entre os 92 municípios fluminenses. Sabe-se lá qual a sua posição no ranking nacional. É, portanto, um péssimo sinal de que ali não se faz um governo transparente, de acordo com as especificações da Lei federal de Acesso à Informação”, comentou o parlamentar.

Simão Sessim critica ação violenta contra cinco jovens no RJ

O Rio de Janeiro está mais uma vez de luto, chorando a perda estúpida de cinco jovens que foram cruelmente fuzilados e mortos, sem dó nem piedade”. Mostrando indignação e revolta, o deputado federal Simão Sessim (PP/RJ), deu início ao seu pronunciamento no plenário na Câmara dos Deputados nesta semana. O parlamentar relatou a morte de cinco jovens, entre 16 e 25 anos, último final de semana, por agentes públicos da Polícia Militar. “O crime praticado foi uma confraternização por conta de um deles, que estava, vejam os senhores, comemorando o primeiro salário de sua vida como integrante do projeto Jovem Aprendiz em um supermercado”, disse.

Os rapazes, todos de comunidade carente do bairro Costa Barros, saíam para lanchar, quando tiveram o carro em que viajavam metralhado por policiais do 41º BPM. Foram mais de 50 tiros sem chance de sobrevivência.

Simão Sessim indagou: “até quando a sociedade fluminense vai ter que conviver com esse tipo de barbárie que já se tornou rotina entre integrantes do aparelho da Segurança Pública no Rio de Janeiro? Mata-se porque se confunde peça de moto, macaco hidráulico e até skate com fuzil, como ocorreu em três das últimas cinco execuções sumárias praticadas também por PMs. E as vítimas: pobres, negras e moradores de comunidades na periferia da Região Metropolitana do Rio de Janeiro… Parece que esses ingredientes, por si só justificam a forma estupida como alguns policiais fluminenses agem irresponsavelmente, manchando, maculando, vergonhosamente, uma instituição centenária, cuja missão seria zelar pela integridade física e moral de todos nós cidadãos” desabou Simão Sessim.

Ao dizer que está “chocado, indignado e envergonhado”, Simão Sessim, deixou uma mensagem de conforto e condolências aos familiares de Roberto de Souza Penha, Carlos Eduardo Silva, Cleiton Corrêa de Souza, Wilton Esteves Domingos Junior e Wesley Castro Rodrigues.

Simão Sessim pede que o Brasil adote sistema usado em Nova York para as escolas

O deputado federal Simão Sessim (PP/RJ), aproveitou a sessão da Câmara do Deputados, esta semana, para falar de Educação e citou uma reportagem publicada pela revista Exame, na edição de 25 de novembro, que lhe causou um sobressalto pelo título: “É preciso fechar escolas“.

O parlamentar relatou que imaginou que seria mais uma notícia da decisão do Governo de São Paulo, que fechou 94 escolas. Mas, se surpreendeu, pois a matéria falava sobre uma entrevista com o americano Joel Klein, ex-secretário de Educação de Nova York.

Ele, na verdade, substituiu escolas grandes por unidades menores, de mais fácil administração. E, as notícias que se tem do tempo dele é de resultados bem positivos”, disse.

Joel Klein escreveu um livro para registrar a experiência, da gestão dele frente à secretaria, livro este, que está na lista dos mais vendidos nos Estados Unidos.

thumb-simao-sessim-pede-que-o-brasil-adote-sistema-usado-em-nova-york-para-as-escolas

O deputado destacou um pequeno trecho da entrevista, que fez questão de reproduzir. Fala sobre a parceria da IBM, empresa de tecnologia com a prefeitura de Nova York.  Diz Joel Klein: “Criamos vários modelos inovadores de escola, mas a que mais se expandiu até agora foi a P-Tech, uma parceria com a IBM. Lá, em vez de o aluno fazer o ensino médio em quatro anos, ele leva seis anos e termina com um diploma técnico em ciência de computação. As aulas práticas começam já no primeiro ano. A IBM moldou o currículo para adequá-lo às necessidades de empresas de tecnologia e certifica os estudantes no final. Quase metade dos formandos acaba sendo contratada pela empresa. Esse modelo está se replicando pelo mundo“.

O parlamentar finalizou o pronunciamento afirmando que as secretarias de educação das cidades do Brasil poderiam valer-se da experiência do ex-secretário de Nova York. “Seria uma iniciativa importante a permitir a ascensão econômica e social dos jovens brasileiros”.

Simão Sessim pede atenção para crescimento de desemprego

No Brasil, 1,9 milhões de pessoas estão sem emprego e o número aumenta a cada nova pesquisa do IBGE. Com este índice preocupante, o deputado federal Simão Sessim (PP/RJ se dirigiu aos demais deputados durante sessão da Câmara, nesta quarta-feira (25). O parlamentar disse que vê com muita preocupação a situação desses trabalhadores.

Essa semana, assisti à matéria na TV Globo sobre uma fila de mais de um quilômetro composta por mais de 20 mil pessoas, à procura de emprego. Um conjunto de pessoas que fizeram declarações de machucar o coração da gente. Muitos na fila estão à espera de uma oportunidade não há alguns dias ou semanas, mas meses, anos. Como será o dia de cada uma daquelas pessoas? Como fazem para se alimentar, se movimentar à busca de emprego?”, falou Simão Sessim.

Para muitas dessas pessoas, o final do ano seria a oportunidade para empregos temporários, em razão das festas e compras do final do ano. Ocorre que a economia está em queda livre e os sindicatos do setor indicam uma queda de 35% no número dos empregos temporários.

Nós aqui na Câmara, no Congresso Nacional, representantes de toda essa multidão, deveríamos diante desse drama nacional, interromper por alguns instantes a preocupação com a política, com a disputa de poder para queimar as nossas energias, criatividade, dedicação na análise do problema e busca de uma solução”, ressaltou o parlamentar.

Simão Sessim lembrou o saudoso Gonzaguinha que criou uma poesia, que se fez letra numa das mais famosas músicas dele, que deveria ser “um mantra” para a Câmara dos Deputados: “Um homem se humilha se castram seu sonho. Seu sonho é sua vida e a vida é trabalho. E sem o seu trabalho, o homem não tem honra e sem a sua honra, se morre, se mata. Não dá pra ser feliz”.

Simão Sessim faz homenagem ao Município de Queimados

O deputado federal Simão Sessim (PP/RJ), usou a tribuna da Câmara dos Deputados para homenagear o município de Queimados, que completou no dia 25 de novembro, 25 anos de emancipação política. “Sem dúvida alguma, trata-se de uma data muito especial para aquela população trabalhadora, ordeira e muito hospitaleira, e que ocupa, com certeza absoluta, um espaço enorme bem no fundo do meu coração”, disse.

Queimados possui uma população estimada em 160 mil habitantes e de acordo com Simão Sessim apresenta uma “grande fase de crescimento econômico, iniciada com a chegada, em 2008, do atual prefeito da cidade, Max Lemos Rodrigues”.

A cidade começa a agregar indústrias de diferentes setores, que vão desde alimentos e bebidas, passando por cosméticos, equipamentos navais, plásticos, têxteis e forjarias, além de empresas como Coca-Cola, MRS, Ajebrás e Petrobrás.

Simão Sessim relatou que Queimados já recebeu no atual governo cerca de R$ 1 bilhão em investimentos, devendo atrair mais R$ 500 milhões com a chegada recente do Arco Metropolitano que está pavimentando a rodovia do crescimento econômico da Baixada Fluminense.

O parlamentar homenageou, também, os moradores da cidade. “Os queimadenses têm me dado demonstrações inequívocas de apoio, apreço, carinho ao longo desses dez mandatos consecutivos neste parlamento. E sempre que posso, não tenho medido esforços no sentido de também levar a minha contribuição para ajudar no crescimento e desenvolvimento, cada vez maior, da cidade que aprendi a admirar e amar como um filho adotado, que percebo ter sido, por seus 160 mil habitantes”.

Simão Sessim critica o péssimo atendimento hospitalar no Rio Janeiro

O deputado federal Simão Sessim (PP-RJ), chamou a atenção do governo para rever a rotina de atendimento médico nos hospitais, postos e unidades de saúde, que segundo ele, está fazendo com que os pacientes “penem” atrás de atendimento, “muitos morrem sem conseguir uma consulta médica, disse o deputado”.

De acordo com reportagem do Jornal Extra, no período de janeiro a outubro deste ano, 19 mil e 600 pessoas tiveram que bater às portas do judiciário para conseguir o atendimento médico. “É lamentável, porque quando o governo criou as Unidades de Pronto Atendimento, o objetivo era tornar mais ágil e melhor o atendimento médico. No entanto, a situação ficou pior”, afirmou.

Simão Sessim declarou que o atendimento médico com qualidade é um desafio, que parece impossível alcançar. O deputado demonstrou muita preocupação com essa situação e disse que o problema deve se agravar por causa da falta de saneamento básico, da violência, da desnutrição, das tensões pela falta de emprego e por outras tantas situações que criam doenças e lotam os hospitais.

Diante da ineficiência dos órgãos de governo, os problemas vão sendo transferidos de um segmento para outro. Agora, da saúde para o Poder Judiciário. A solução está na revisão das rotinas dos governos e na necessidade de uma lei de responsabilidade social, que puna quem, nos governos, não cumpra o papel que lhe é designado”, desabafou o parlamentar

Simão Sessim ressalta trabalho do neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho

O trabalho do responsável pelo comando do Instituto Estadual do Cérebro, o neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho, foi o destaque do pronunciamento do deputado Simão Sessim (PP-RJ), nesta terça-feira (10). “Muitas vezes não valorizamos as pessoas que nos rodeiam e que merecem atenção, respeito, orgulho e reconhecimento por tudo que representam e proporcionam ou proporcionaram em nossas vidas”.

O Instituto Estadual do Cérebro do Rio de Janeiro foi criado há dois anos, para o tratamento neurocirúrgico de doenças do sistema nervoso central, como: AVC, aneurismas, epilepsia, tumores, enfermidades vasculares e Parkinson.

Simão Sessim lembrou que o Instituto foi idealizado e inaugurado no governo Sérgio Cabral e se transformou em grande esperança para muitas pessoas. “É um hospital dos sonhos de todos nós, por ser também a grande esperança de atendimento, com dignidade, sobretudo de pacientes do SUS, seu maior beneficiário, por estar dotada da melhor estrutura existente hoje no mundo”, disse.

O deputado relatou que no Instituto Estadual do Cérebro, se concentra um grupo de neurocirurgiões com equipamentos dos mais sofisticados para fazer cirurgias eletivas de alta complexidade na área neurológica, preenchendo uma importante lacuna há muito reivindicada na rede pública de saúde.

thumb-simao-sessim-ressalta-trabalho-do-neurocirurgiao-paulo-niemeyer-filhoQualquer cidadão que tiver diagnóstico com inclinação neurocirúrgico pode ser encaminhado para o Instituto Estadual do Cérebro, independente do estado ou de sua cidadania. E vai encontrar, ali, Centros Cirúrgicos de última geração, salas inteligentes, totalmente informatizadas, e uma equipe de profissionais produzindo trabalhos científicos que a torna referência no estado e no País”, destacou o parlamentar.

O Instituto dispõe de quatro Centros Cirúrgicos, nove consultórios, 40 leitos de UTI adulta e quatro de UTI pediátrica, dois para pacientes com epilepsia, além de um quadro de 191 médicos, todos orientados e dirigidos pelo neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho.

O Instituto realizou até o mês de agosto 2.388 cirurgias e 20.173 atendimentos ambulatoriais, além de 42.458 exames de ressonância magnética, tomografias computadorizadas, hemodinâmica, de raio X, ecocardiograma e eletroencefalograma.

“Somente pessoas generosas imbuídas do propósito de servir ao próximo, dotada do espírito público e solidárias com seu semelhante, a exemplo do médico Paulo Niemeyer Filho, são capazes de realizar obras maravilhosas voltadas para atender e amenizar o sofrimento de quem padece, muitas vezes por falta de uma mão benevolente”, finalizou Simão Sessim.

Simão Sessim elogia projeto de Lei que garante a distribuição de sobras de alimentos de feiras e mercados livres

O deputado federal Simão Sessim (PP-RJ), destacou em seu pronunciamento na Câmara dos Deputados, a importância do projeto de Lei que garante a distribuição de sobras de alimentos de Feiras e Mercados livres. Sessim fez questão, ainda, de deixar registrado um elogio à iniciativa dos deputados fluminenses, pois a proposta foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

Dados de 2011, da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura apresentados pelo deputado, apontam que cerca de 1,3 bilhão de toneladas de comida, o equivalente a um terço da produção mundial de alimentos, são perdidas ou desperdiçadas anualmente, representando com isso “uma contínua e injustificável sangria nos recursos vitais do planeta e na economia das nações”.

Este cenário de desperdício de alimentos de acordo com o deputado é, sem dúvida alguma, um enorme obstáculo à resolução do problema da fome que ainda aflige mais de 800 milhões de pessoas em todo o mundo.

Somente o Brasil tem 3,4 milhões de pessoas – algo em torno de 1,7% da população -, que estão em situação de insegurança alimentar.

No Estado do Rio de Janeiro, mais de 500 mil pessoas vivem abaixo da linha da extrema pobreza, conforme dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o IPEA.

“Cerca de 287 mil toneladas de hortifrutigranjeiros são jogados fora pelos centros de abastecimento, devido a problemas – como tamanho, deformação etc -, que não reduzem o teor nutritivo dos produtos, resultando num desperdício total de cerca de 670 mil toneladas atiradas no lixo, todos os anos”, reclamou o parlamentar.

Trem da Terra alavanca o Turismo e desenvolvimento econômico do RJ e MG

O deputado federal Simão Sessim (PP-RJ), foi à tribuna das Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (3), para destacar a importância da iniciativa da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Amigos do Trem. A Organização que envolve representantes políticos, empresários, voluntários e autoridades de diversos setores do Rio de Janeiro e Minas Gerais decidiram criar o primeiro trem turístico interestadual do Brasil, já batizado de Expresso Trem da Terra.

 

“O excepcional projeto, além de interligar cidades fluminenses e mineiras, vai contribuir também para alavancar o turismo e o desenvolvimento econômico e social da região”, disse Simão Sessim.

O Expresso Trem da Terra, previsto para entrar em funcionamento no primeiro semestre do ano que vem, vai circular entre as cidades de Sarapucaia e Três Rios, no Centro Sul Fluminense; e Cataguases, Recreio, Leopoldina, Chiador, Além Paraíba e Volta Grande, em Minas Gerais.

“O projeto, pode ser o grande embrião da retomada do transporte ferroviário interestadual de passageiros, que teve o seu auge na década de 50, quando chegou a transportar mais de 100 milhões de pessoas por ano”, lembrou o deputado.

Simão Sessim informou que das três únicas linhas ferroviárias interestadual, funcionando atualmente no País, duas só existem por obrigação contratual por parte da Companhia Vale do Rio Doce.

As linhas em funcionamento ligam Vitória a Belo Horizonte; a que vai de São Luiz, no Maranhão, a Carajás, na Paraíba e a Serra Verde, que faz o trecho entre Curitiba e Paranaguá, no Paraná, mas apenas com fins turístico, transportando cerca de 130 mil passageiros/ano, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres.

O Expresso da Terra vai usar uma composição de duas locomotivas, com quatro vagões, um deles do famoso Trem de Prata, que funcionou na linha Rio-São Paulo, além de dois carros-restaurantes, num trecho de 187 quilômetros de malha ferroviária, transportando até 240 passageiros.

O parlamentar destacou, ainda, que o projeto deverá gerar cerca de 500 empregos diretos e indiretos e proporcionar horas de muito lazer e conhecimento. “Os turistas poderão curtir, por um período de cinco horas de passeio, lindas paisagens, belas cachoeiras, fazendas, casarios históricos, hidrelétricas, Lagos e a tranquilidade característica das regiões Centro Sul fluminense e da Zona da Mata mineira”.

Esclarecimento

A colunista Berenice Seara, no jornal Extra, divulgou, na terça-feira, a seguinte nota a meu respeito:

“De acordo com as notas apresentadas à Câmara, Simão Sessim (PP) é o deputado federal do Rio com mais apetite. Só nos primeiros oito meses do ano, o moço gastou com comida nada menos que R$ 15.949 da “cota para exercício da atividade parlamentar” — verba que os parlamentares recebem, além dos salários, para gastos do gabinete.

E o moço, eleito com os votos da Baixada, é fã dos restaurantes da Barra. A maioria das notinhas é de estabelecimentos do bairro da Zona Oeste do Rio.

Detalhe: Sessim almoça na Barra até em dias e horários em que, em tese, deveria estar no plenário da Câmara, em Brasília”.

A colunista usa dados que estão à disposição de todos no site da Câmara, mas encaminha a notícia com o intuito claro de denegrir a minha imagem. Por isso, ela divulga um valor somado da verba indenizatória, para, apesar de dizer que se refere a oito meses, passar a impressão de abuso.

O uso da verba não é uma ilegalidade. Ela está prevista e autorizada por Ato da Mesa da Câmara dos Deputados e como destinação específica, como o nome diz, indenizar o parlamentar pelos gastos que ele faz em razão do exercício do mandato.

Um exercício de aritmética mostra que, considerados meses de 25 dias, cada refeição minha paga pela Câmara saiu, em média, por R$ 39,87, valor menor do que o vale-refeição pago aos funcionários da instituição.

O fato da maioria das despesas ser efetuada na Barra da Tijuca tem dois motivos, que não escondi dos meus eleitores:

  1. resido no Bairro;
  2. tenho me ausentado de Brasília nos últimos meses, para aplicações que faço num Hospital da Barra para curar um câncer, que apareceu nos exames que fiz no início do ano.

E, quanto, a referencia irônica e desrespeitosa que recebi na nota ao ser dito “E o moço…” lembro à repórter que estou com 80 anos de idade e cumpro o 10o mandato consecutivo de deputado federal, porque os eleitores conhecem muito bem a minha vida e o meu proceder.