Índice de violência contra jovens negros se agravou nos últimos dois anos

O deputado Simão Sessim (PP-RJ), levou até o plenário da Câmara dos Deputados, números alarmantes sobre a realidade dos negros pobres no Brasil. O parlamentar apresentou o resultado de um estudo da Secretaria Nacional de Juventude e a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, a Unesco. “O levantamento volta a nos chocar com dados alarmantes e inaceitáveis, para os dias de hoje, sobre o massacre de negros no Brasil”, disse Simão Sessim.

A pesquisa revela que em pelo menos 16 unidades da Federação – a exceção do Paraná -, a taxa de homicídios entre mulheres de 15 a 29 anos é maior contra as negras.

O índice foi calculado com base na análise de dados de 304 municípios do País com mais de 100 mil habitantes, levando em consideração questões da violência entre jovens, frequência à escola e situação de emprego, pobreza no município e desigualdade.

Em 2015, os negros com faixa etária entre 12 e 29 anos, tinham 2,5 vezes mais chance de serem assassinados do que os brancos. Agora, o risco médio no País subiu para 2,7.

Os números apontam a triste e dolorosa lógica de desumanização sofrida por negros e pobres no Brasil, onde, em 2015, pelo menos um negro era assassinado a cada 23 minutos”, alertou.

O crime de homicídio é ainda a principal causa de morte de jovens negros, pobres e moradores da periferia dos grandes centros urbanos.

Esse quadro de terror que os dados oficiais mostram é o resultado covarde, cruel e desumano de uma política de criminalização da pobreza e do racismo explícito demandados da sociedade. Infelizmente, estamos diante de uma guerra civil jamais declarada, que redunda num verdadeiro extermínio de crianças, adolescentes e jovens pobres e negros”, ressaltou o parlamentar.

Comentário

Leave a comment

%d blogueiros gostam disto: