No dia do trabalho, o Brasil dá lições ao mundo

A sexta e o sábado foram de agenda cheia, para que eu pudesse comparecer a inúmeras festividades em homenagem ao Dia do Trabalho. Em todo canto, a festa foi grande e com justo motivo, porque o primeiro de maio comemora a primeira significativa conquista do trabalhador, a redução da jornada de trabalho de 13 para 08 horas diárias. Isso mesmo, já houve tempo em que o trabalhador era obrigado a trabalhar 13 horas por dia, sem direitos.

No dia 1 de Maio de 1886, houve manifestações de trabalhadores nas ruas de Chicago, cidade americana, com a finalidade de conseguirem a redução da jornada de trabalho de 13 para 08 horas diárias.

O governo reagiu e uma greve geral aconteceu nos Estados Unidos. No dia quatro de maio, houve a chamada Revolta de Haymarket, quando uma bomba explodiu perto de alguns policiais e oito deles morreram. Em resposta, a polícia abriu fogo em direção aos grevistas e matou 12 pessoas. Os líderes do movimento, August Spies, Sam Fieldem, Oscar Neeb, Adolph Fischer, Michel Shwab, Louis Lingg e Georg Engel foram presos. O julgamento teve início no dia 21 de junho, com provas e testemunhas ajeitadas para promoverem a condenação.

A sentença foi lida dia 9 de outubro. Parsons, Engel, Fischer, Lingg, Spies foram condenados à morte na forca; Fieldem e Schwab, à prisão perpétua e Neeb a quinze anos de prisão. A população tentou impedir a execução, mas nada conseguiu. Somente em 1893, o governador do estado entendeu que todos os oito eram inocentes e mandou libertar os que estavam presos.

Spies, condenado à morte, em sua defesa, advertiu: “Se com o nosso enforcamento vocês pensam em destruir o movimento operário – este movimento de milhões de seres humilhados, que sofrem na pobreza e na miséria, esperam a redenção – se esta é sua opinião, enforquem-nos. Aqui terão apagado uma faísca, mas lá e acolá, atrás e na frente de vocês, em todas as partes, as chamas crescerão. É um fogo subterrâneo e vocês não poderão apagá-lo!”

Hoje, 124 anos depois, as palavras de Spies ainda ressoam no mundo, comprovadas pelo avanço que a legislação trabalhista obteve com base em lutas, reivindicações e movimentos de toda sorte.

O Brasil, neste campo, tem dado lições ao mundo, principalmente, quando, em 2003, elegeu Lula, um líder sindical, Presidente da República, que pelo trabalho que faz à frente da presidência recebe homenagens do mundo todo.

Feliz dia do trabalho.

Comentário

Leave a comment

%d blogueiros gostam disto: