Discurso do dia 17/03/11

17/03/2011

O SR. SIMÃO SESSIM (PP-RJ. Pronuncia o seguinte discurso.) – Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, permitam-me manifestar desta tribuna a minha enorme satisfação diante do quadro de prosperidade que tão bem ilustra, no momento, a ascensão da economia fluminense.

Só para ilustramos melhor esta situação, Senhor Presidente, o bom momento dos negócios gerados no Rio de Janeiro, na carona, é evidente, da exploração do petróleo e da produção de aço, sobretudo na região de Itaguaí, está fomentando a produção a ponto de ter colocado a Baixada Fluminense como a segunda maior geradora de empregos do estado.

Dados Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, a FIRJAN, mostram, por exemplo, que o mercado de trabalho no Estado do Rio, senhor presidente, acompanhou o ritmo nacional e fechou 2010 com recorde de criação de empregos na série histórica.

Foram 190 mil novos postos com carteira assinada, um saldo de 23,3% maior do que o registrado em 2008, o recorde anterior. Ainda de acordo com a FIRJAN, o saldo de contratações na Baixada Fluminense foi o segundo maior dentre as regiões do Estado, registrando 28.478 novos postos de trabalho formal.

Dados mais recentes, divulgados ainda ontem pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho e Emprego, revelaram também que o Rio de Janeiro atingiu, agora, em fevereiro, outro recorde histórico na criação de empregos com carteira assinada. Foram mais 19.921 empregos formais, um crescimento fantástico de aproximadamente 140% em relação ao ano anterior, cujo resultado foi de 8.298 novas vagas.

Ontem, Senhor Presidente, o ministro Aloizio Mercadante, da Ciência e Tecnologia, nos deu uma excelente notícia: ele anunciou aos jornalistas que cobriam a segunda reunião do Forum de Desenvolvimento Econômico, aqui em Brasília, que o Governo quer priorizar a elaboração do Programa Nacional do Ensino Técnico o PRONATEC).

A medida, Senhor Presidente, tem como objetivo enfrentar o seríssimo problema da carência de mão de obra por que passa o país em diferentes setores. Até porque, no momento, o que mais preocupa o governo da presidente Dilma Rousseff, é exatamente como enfrentar o desafio da falta de qualificação profissional num momento em que o mercado de trabalho se mostra bastante aquecido.

Sabemos que em alguns setores já há problemas de oferta de mão de obra, principalmente para mão de obra especializada, razão pela qual o Governo, através do Ministério da Educação, vem discutindo um amplo programa de formação no ensino profissionalizante.
Trata-se, portanto, Senhor Presidente, de uma louvável iniciativa, da qual somos os maiores incentivadores.

Era o que tínhamos para comentar no momento, Senhor Presidente.

Muito obrigada!

Comentário

Leave a comment

%d blogueiros gostam disto: