CSA amplia oportunidades na Zona Oeste do Rio de Janeiro

O SR. SIMÃO SESSIM (PP-RJ. Pronuncia o seguinte discurso.) –

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, a sexta-feira que passou, dia 18 de junho de 2010, ficou gravada na memória do povo fluminense como mais um marco do processo ininterrupto de desenvolvimento socioeconômico que vem se sucedendo no Estado do Rio de Janeiro, desde que o Governo do Presidente Lula se instalou neste País, a partir de 2003.

Afinal, Sr. Presidente, a cidade do Rio de Janeiro, mais precisamente a zona oeste da capital fluminense, ganhou naquele dia a mais nova e uma das mais modernas companhias siderúrgicas do mundo, a Siderúrgica do Atlântico, ou a CSA, que entrou em operação no Distrito Industrial de Santa Cruz, impulsionada que foi pelas mãos do metalúrgico Luiz Inácio da Silva, grande propulsor desta engrenagem de desenvolvimento nacional.

Fruto do maior investimento privado em execução no Brasil, orçado em 5 bilhões de euros, a Companhia Siderúrgica CSA, empresa do grupo alemão ThyssenKrupp, agora também comandada pela brasileiríssima Vale, está chegando para fomentar o crescimento da produção siderúrgica em nosso País, de forma a gerar riqueza e desenvolvimento sustentável.

Como bem frisou o Governador Sérgio Cabral, a inauguração da CSA representa um momento histórico para a indústria brasileira, para a indústria internacional e, sobretudo, para o Rio de Janeiro, que está recebendo de braços abertos este magnífico empreendimento.

Somente para termos uma ligeira idéia da importância deste empreendimento, Sr. Presidente, nada menos que 3.500 empregos diretos e outros 14 mil indiretos estão sendo criados com a chegada da CSA ao nosso País, e culminarão com a produção, por ano, de 5 milhões de toneladas de placas de aço.

O empreendimento gigantesco, Sr. Presidente, erguido com o suor da força da mão de obra de cerca de 30 mil trabalhadores, já está atraindo novas empresas que se instalaram na cidade para atender à demanda gerada pela CSA.

É exatamente por isso, Sr. Presidente, que eu estou concentrando todas as minhas forças junto aos Governos do Estado e da União para levar uma escola técnica, seja ela estadual, seja federal, mas de qualidade, para a população daquela região.
Até porque, ali, além da CSA, também empresas do porte de uma Gerdau e de uma Votorantim estão aplicando algo em torno de 14 bilhões de reais, o correspondente a 60% do total a ser investido na indústria de transformação, o que vai colocar o Rio de Janeiro como o principal polo siderúrgico do País e da América Latina.

Portanto, Sr. Presidente e nobres Deputados, deixo registrada nesta tribuna não apenas a minha satisfação, como também a esperança de ver este País, sobretudo o Estado do Rio de Janeiro, crescendo e se desenvolvendo cada vez mais, de modo a poder proporcionar melhor qualidade de vida para a nossa população, que precisa sonhar e acreditar que este País pode, sim, ser uma grande Nação e motivo de orgulho de todos os brasileiros.

Comentário

Leave a comment

%d blogueiros gostam disto: